XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Neoplasia Cística Mucinosa Hepática – Quando suspeitar?

Apresentação do Caso

Paciente, sexo feminino, 30 anos, com dor epigástrica há 10 dias. Realizou ultrassom
de abdome superior com identificação de um cisto de 6 cm que apresentou
crescimento em relação ao USG realizado há 2 anos. Mantinha a dor a despeito do
tratamento com analgésicos. A RNM de abdome superior identificou uma lesão cística
com sinais de sangramento recente. Foi indicado o tratamento cirúrgico. No
intraoperatório, visualizada uma lesão de paredes espessadas e regular. Feita a
ressecção do cisto sem ruptura de sua capsula.
O aspecto macroscopico era de uma lesão multiloculada com conteudo espesso e claro
sem a presenção de sangue. À microscopia, foi diagnosticada uma neoplasia cística
mucinosa de baixo grau sem lesões invasivas detectadas.

Discussão

As lesões císticas hepáticas podem ser apenas achados de exames de rotina. São
encontradas com mais frequência em mulheres na proporção de 1:5, acima dos 50
anos e são mais comuns no lobo direito e em sua grande maioria são benignos e
assintomáticos, sendo que uma pequena porcentagem cresce e causa sintomas. Entre
as lesões císticas temos: cisto hidático, cistos neoplásicos primários e secundários,
cistos ductais e falsos cistos.
A diferenciação entre os cistos hepáticos apesar de difícil é indispensável para o
segmento da investigação e indicação do tipo de tratamento. Através do USG é feita a
diferenciação entre simples e septado (neoplásico ou hemorrágico). Na tomografia os
cistos são vistos como lesão atenuante que não contrastam, já na ressonância
magnética podemos notar hipersinal na lesão cística em T2. A punção do cisto está
pouco indicada.
Segundo a literatura, pacientes assintomáticos em sua grande maioria não requer
investigação aprofundada e tampouco tratamento. Contudo, a presença de dor,
sangramento, suspeita de infecção ou malignidade motiva a conduta operatória.

Comentários finais

Relatamos um caso de neoplasia mucinosa cística do fígado que apresenta baixa
incidência populacional principalmente em pacientes jovens

Palavras-Chave

cisto hepatico, mucina, neoplasia

Área

Gastroenterologia - Fígado

Autores

Pedro Viotti Godinho, Tricia Aline Ribeiro Pattini De Souza, Bianca Escorel Fava, Lucas Sene Leme, Fabio Brito Saucedo, Fabio Crescentini, Gabriel Fonsceca Nunes, Rafaela Araujo Lojudice, Erika Caroline Alves Pinheiro