XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Perfil epidemiológico de pacientes com Gastrite e duodenite no Brasil nos últimos 10 anos

Introdução

A gastrite e a duodenite são processos inflamatórios crônicos da mucosa do estômago e do duodeno, inicialmente superficiais, que podem evoluir para úlceras quando a lesão se torna circunscrita e atinge a camada muscular da mucosa. Os fatores de risco desta condição estão relacionados ao desequilíbrio entre as defesas e as agressões à mucosa gastrointestinal. Também existem causas externas, como o uso de anti-inflamatórios e a agressão da bactéria Helicobacter pylori nos indivíduos mais susceptíveis. Dentre as complicações principais, destacam-se a hemorragia e as fístulas, além do câncer gástrico, especialmente quando há presença de H. Pylori.

Objetivo

Realizar uma análise retrospectiva dos casos de gastrite e duodenite no Brasil nos últimos 10 anos.

Método

Estudo epidemiológico, descritivo e retrospectivo, com coleta de dados obtidos no Sistema de informações Hospitalares (SIH/ SUS), durante o período de junho de 2011 a junho de 2021, utilizando as variáveis faixa etária, região, raça, sexo, taxa de mortalidade e óbitos.

Resultados

No Brasil houve um total de 392.785 internações registradas por gastrite e duodenite entre junho de 2011 e junho de 2021. A Região Nordeste foi a região que apresentou maior número de internações, com 165.252 (42%), seguida pelo Sudeste com 78.092 (19,8%), e a região com menor número de casos registrados é a região Centro-Oeste com 39.480 (10%). A faixa etária mais acometida foi entre 30 a 39 anos, com 57.202 internações (14,5%), tendo a Região Nordeste com 24.922 e a Região Sul com apenas 4.178 internações. A população mais afetada foi a parda seguida pela branca, com 163.322 e 90.849 respectivamente. A população parda foi predominante na Região Nordeste, com 89.512, enquanto a Branca foi maioria na Região Sudeste, com 41.131. Houve maior predomínio do sexo feminino, com 218.769, enquanto o sexo masculino teve 174.016. A taxa de mortalidade é maior nas regiões Sudeste e Sul, sendo a predominância de óbitos no Nordeste e Sudeste.

Conclusão

A partir da análise dos resultados concluiu-se que decorrente do número de internações nos últimos 10 anos, os casos de gastrite e duodenite foram maiores na região Nordeste e menores na região Centro-Oeste, sendo mais prevalente na população branca e no sexo feminino, atingindo uma maior faixa etária de 30 a 39 anos. Considerando a taxa de mortalidade e quantidade de óbitos de indivíduos acometidos por essas patologias, a região Sudeste destaca-se em ambas categorias.

Palavras-Chave

Gastrite; Duodenite; Gastroenterologia; Epidemiologia

Área

Gastroenterologia - Estômago/Duodeno

Autores

Arthur Ribeiro Coutinho da Franca Pereira , Rafaela Carneiro de Almeida Formiga, Iasmin Pordeus Coura Urtiga, Victória Carneiro de Almeida Formiga, Atália Isabelle Estevam Nogueira Ferreira, Pedro Palitot Pereira Pedrosa