XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Cenário da Neoplasia Maligna dos Órgãos Digestivos no Brasil: Estudo Epidemiológico dos Últimos 5 anos

Introdução

As neoplasias malignas de órgãos gástricos lideram o cenário dos cânceres. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), entre os 10 cânceres prevalentes em homens 4 são de órgãos gástricos; nas mulheres, a incidência cai para 2 entre 10. Vários fatores parecem estar envolvidos como o envelhecimento precoce da população, o sedentarismo e os hábitos alimentares pouco saudáveis. Portanto, a incidência desta neoplasia deve ser discutida no cenário brasileiro.

Objetivo

Realizar uma análise retrospectiva dos casos de neoplasia maligna dos órgãos digestivos dos últimos 5 anos.

Método

Estudo epidemiológico, descritivo e retrospectivo, com coleta de dados obtidos no Sistema de informações Hospitalares (SIH/ SUS) durante o período de junho de 2016 a junho de 2021, utilizando as variáveis faixa etária, região, sexo, taxa de mortalidade e óbitos.

Resultados

Conforme o DATASUS, no período analisado, foram registradas 814.068 internações por neoplasias malignas dos órgãos digestivos no Brasil, divididas pelas regiões Sudeste com maiores números (368.887; 45.3%), seguida pelo Sul (226.924; 27.9%), Nordeste (141.093; 17.3%), Centro-Oeste (52.632; 6.5%), e o Norte (24.532; 3%). Quanto ao sexo, pela ocorrência de casos, lidera o masculino (455.410; 55.9%) e em seguida, com um menor número, o feminino (358.658; 44%). As faixas etárias mais acometidas são de 60 a 69 anos (247.770) e de 70 a 79 anos (201.216), representando 55.1% do total. Ocorreram no país 107.992 óbitos, com predominância no Sudeste (54.121; 50.1%) e no Sul (23.487; 21.7%). A taxa de mortalidade geral no país é de 13,27%, tendo maior índice as regiões Norte e Sudeste, e menor, Centro-Oeste e Sul.

Conclusão

Com base no que foi explanado, conclui-se que o Sudeste se apresenta com a maior quantidade de casos, sendo 45.3% do total, assim como o mesmo apresenta a maior quantidade de mortes, a qual se apresenta no país, uma taxa de mortalidade de 13,27%. Nota-se, ainda, que o sexo masculino é o mais afetado, representando 55,9% do total de casos. Da mesma forma, os indivíduos entre 60 e 69 anos apresentam um maior número internações por neoplasia maligna de órgãos digestivos em comparação a outras faixas etárias.

Palavras-Chave

"Neoplasia Maligna dos Órgãos Digestivos"; "Epidemiologia da Neoplasia Maligna dos Órgãos Digestivos"; "Câncer dos Órgãos Digestivos"; "Epidemiologia do Câncer dos Órgãos Digestivos".

Área

Gastroenterologia - Miscelânea

Autores

Ana Luiza Lima Gonçalves, Arthur Ribeiro Coutinho da Franca Pereira, Eduardo Antonio Montenegro Cabral, Ilane Louisse Araújo Gonçalves, Lívia Maria Pordeus Coura Urtiga, Rafaela Carneiro de Almeida Formiga, Victória Carneiro de Almeida Formiga