XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Aspectos epidemiológicos dos óbitos por tuberculose do intestino, peritônio e glândulas mesentéricas no Brasil nos últimos 10 anos

Introdução

A tuberculose (TB) ocorre através do Mycobacterium tuberculosis e sua contaminação se dá pela dispersão de aerossóis por um indivíduo infectado. Após o primeiro contato com o bacilo, a doença evolui para a fase primária, que se manifesta de forma assintomática. Depois, o paciente passa a conviver com o bacilo, infecção latente. Por fim, sucede-se a fase secundária, em que a disseminação do bacilo pode ocorrer. A TB do aparelho digestivo é mais rara e pode surgir, de forma isolada, pela ingestão de leite ou escarro contaminado, disseminação hematogênica, implante de bacilos de focos contíguos e por reativação de foco de TB miliar ou pulmonar. No caso do trato gastrointestinal, as regiões de válvula ileocecal, íleo terminal e ceco constituem os locais de maior acometimento.

Objetivo

Realizar uma análise retrospectiva dos óbitos por tuberculose do intestino, peritônio e glândulas mesentéricas no Brasil nos últimos 10 anos.

Método

Estudo epidemiológico, descritivo e retrospectivo, com coleta de dados obtidos no Sistema de informações Hospitalares (SIH/SUS), durante o período de junho de 2011 a junho de 2021, utilizando as variáveis faixa etária, região, sexo, taxa de mortalidade e óbitos.

Resultados

Conforme o DATASUS, no período analisado, foram registradas 760 internações por tuberculose do intestino, peritônio e glândulas mesentéricas no Brasil, divididas pelas regiões Sudeste com maiores números (333; 43.8%), seguida pelo Nordeste (211; 27.8%), Sul (109; 14.3%), Norte (57; 7.5%), e com os menores o Centro-Oeste (50; 6.6%). Ocorreram no país 33 óbitos, com predominância no Sudeste (17; 51.5%) e no Nordeste (7; 21.2%), quanto ao sexo, pela ocorrência de mortes, lidera o masculino (25; 75.7%), e com um menor número, o feminino (8; 24.2%). As faixas etárias mais acometidas segundo óbito são de 30 a 39 anos (10), e de 50 a 59 anos (8), representando 54.5% do total. A taxa de mortalidade geral no país é de 4,34%, tendo maior índice as regiões Sudeste e Sul, e menor Nordeste e Norte.

Conclusão

Concluiu-se que o Sudeste destaca-se pelo alto índice de internações por tuberculose do intestino, peritônio e glândulas mesentéricas nesse período. Acerca do número de óbitos e taxa de mortalidade, foi baixo em relação ao número de internações, ainda com prevalência no Sudeste. Ademais, o sexo mais acometido em número de óbitos é o masculino, em porcentagem bastante significativa e a faixa etária predominante é a de indivíduos com 30 a 39 anos.

Palavras-Chave

Tuberculose; Gastroenterologia; Epidemiologia

Área

Gastroenterologia - Miscelânea

Autores

Arthur Ribeiro Coutinho Franca Pereira, Iasmin Pordeus Coura Urtiga, Rafaela Carneiro de Almeida Formiga, Ilane Louisse Araújo Gonçalves, Victória Carneiro de Almeida Formiga, Pedro Palitot Pereira Pedrosa, Lívia Maria Pordeus Coura Urtiga