XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ESTEATOSE HEPÁTICA E A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA: REVISÃO COMPREENSIVA

Introdução

Esteatose hepática (EH) é o acúmulo de gordura nos hepatócitos. Pode levar a lesões, gerando fibroses e favorecendo o hepatocarcinoma. É uma das causas mais comuns de hepatopatia crônica em adultos e isso se deve ao alto consumo de calorias com pouco valor nutricional e à falta de atividade física.

Objetivo

Fazer uma revisão compreensiva a respeito do papel da atividade física em portadores de EH.

Método

Revisão bibliográfica nas principais plataformas digitais nos últimos 10 anos através das palavras-chave: esteatose-hepática, estilo-de-vida e atividade-física; selecionando metanálises e revisões sistemáticas.

Resultados

Segundo Gaspar et al, os protocolos de treinamento de prevenção e tratamento são eficientes para reduzir os níveis lipídicos no fígado. Ladeira et al concluíram que o tratamento da doença se baseia prioritariamente em atividade física. Independentemente da modalidade e intensidade observou-se redução da EH. Dâmaso et al observaram que, submetendo pacientes a uma alimentação adequada e realizando atividade física 2 vezes na semana por 60 minutos e estimulando atividades diárias e aos finais de semana, houve redução da morbidade. Vilar-Gomez et al evidenciaram que uma dieta de baixa caloria, juntamente com a prática de exercícios (200 minutos por semana) por 52 semanas resulta em uma melhora histológica, incluindo fibrose, quando a perda de peso foi maior ou igual a 10%. Lucca et al relataram que após 90 a 180 minutos de exercícios vigorosos os estoques de glicogênio acabam. Com isso temos que a prática de exercícios físicos pode não só servir de medida terapêutica, mas também como medida preventiva.

Conclusão

A melhor conduta terapêutica para EH é a mudança do estilo de vida. A prática de exercícios é fundamental para diminuição do percentual de gordura e também para ativação de enzimas que levam a redução da resistência insulínica e oxidação lipídica. Não é apenas uma forma de tratamento, mas de prevenção da doença.

Palavras-Chave

esteatose-hepática, estilo-de-vida e atividade-física

Área

Gastroenterologia - Fígado

Autores

Gabriella Medeiros Melo, Isadora Prado Siqueira, Lívia Teotônio Trufeli, Marina Meneghesso Buonarotti, Rafael Rodrigues Melo, Maria Eduarda Rodrigues Souza, Vinicius Magalhães Rodrigues Silva