XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Injúria Hepática Induzida por Metimazol: um relato de caso

Apresentação do Caso

Paciente, sexo feminino, 28 anos, diagnosticada com hipertireoidismo em 2011, em uso de metimazol e atenolol, com bom controle clínico e sem necessidade de terapia adicional, sendo último ajuste em 2017 com redução de dose de antitireoideano. Evoluiu em outubro de 2019 com icterícia e elevação de transaminases, sendo suspensas as medicações em uso. Apresentou descompensação da doença de base e piora de enzimas hepáticas, com valores superiores à normalidade em cinco vezes, sendo internada após um mês. Iniciado propiltiouracil e propranolol, sem melhora.Avaliação do serviço de gastroenterologia orientou suspensão de anti-tireoideanos até definição diagnóstica.Durante investigação de hepatopatia, observado apenas FAN positivo, sem achados de imagem ou outras alterações laboratoriais.Realizada biopsia hepática, sugestiva de hepatite aguda medicamentosa. Devido gravidade clínica e laboratorial, optado por realização de iodo e corticoterapia, com boa resposta e normalização de enzimas hepáticas

Discussão

O metimazol, de uso comum no hipertireoidismo, é geralmente bem tolerado, sendo associado a efeitos adversos em apenas 10% dos casos.A injúria hepática induzida por esta droga pode ocorrer nas primeiras semanas de uso, com incidência entre 0,1 a 0,2%, seja por toxicidade direta da droga, degeneração e necrose hepatocitária ou exacerbação de danos pré existentes.No caso descrito, observamos jovem com injúria hepatocelular comprovada em biópsia, iniciada após uso crônico da medicação, divergindo da forma de apresentação habitual da doença. Seu quadro varia de forma assintomática à grave com evolução para transplante hepático, desfecho provável da paciente em questão caso não houvesse diagnóstico e conduta precoces.O tratamento principal é a suspensão da droga, com alguns estudos também advogando o uso de corticosteróides em situações de persistência de injúria apesar da suspensão do fator causal, possibilidade de associação com componente de auto imunidade e formas de maior gravidade, como observado no caso, que evoluiu com boa resposta.

Comentários finais

O metimazol é uma droga de uso frequente no tratamento do hipertiroidismo e, apesar de possuir bom perfil de segurança, pode associar-se a injúria hepatica. Dessa forma, deve-se alertar aos pacientes quanto a este risco, principalmente se presença de fatores de maior suscetibilidade, como etilismo e uso concomitante de drogas hepatotóxicas, de forma a ser feito o rápido reconhecimento e tratamento.

Palavras-Chave

Injúria Hepática, Metimazol, Hipertireoidismo

Área

Gastroenterologia - Fígado

Autores

Ana Larisse Veras Bezerra , Maria Carolina Nunes Albano de Meneses, Fabrizio Gondim Gurgel Ramalho Lima , Rodrigo Vieira Costa Lima