XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANÁLISE DO CUSTO TOTAL EM NEOPLASIA MALIGNA DE CÓLON NA REGIÃO SUDESTE BRASILEIRA NA ÚLTIMA DÉCADA

Introdução

A Neoplasia maligna de cólon (NMC) abrange os tumores que se iniciam na parte do intestino grosso chamada cólon. É tratável e, na maioria dos casos, curável, ao ser detectado precocemente, quando ainda não se espalhou para outros órgãos.

Objetivo

O objetivo do trabalho é descrever o custo total (CT) por NMC nos estados da região Sudeste do Brasil de 2010 a 2020, levando em consideração gênero e internações.

Método

Realizou-se estudo epidemiológico retrospectivo utilizando a base de dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), durante o mês de junho de 2021, filtrando por sexo, valor total e internações no período de 2010 a 2020.

Resultados

No período estudado registrou-se CT de R$468.464.742,81 por NMC, sendo, em ordem decrescente, R$25.607.887,82 (2%) no Espírito Santo(ES), R$60.953.356,64 (15%) no Rio de Janeiro(RJ), R$135.958.151,21 (30%) em Minas Gerais (MG) e R$245.945.347,14 (53%) em São Paulo (SP). Ocorreram 206.454 internações por NMC, sendo 13.935 (6%) no ES, 26.854 (15%) no RJ, 60.863 (29%) em MG e 104.802 (50%) em SP. Destas, 101.013 (49%) internações são masculinas (M) com CT de R$228.403.344,11 (49%) e 105.441 (51%) femininas (F) com CT de R$ 240.061.398,70 (51%). Por estado, em ordem decrescente, no ES o CT de R$11.919.163,73 M (46%) e R$13.688.724,09 F (54%), tendo 6.594 (47%) internações M e 7.341 (53%) F; no RJ o CT R$28.487.643,91 (46%) M e 32.465.712,73 (53%) F, tendo 12.571 (46%) internações M e 14.283 (53%) F; em MG o CT R$64.540.126,92 (47%) M e CT R$71.418.024,29 (52%) F, tendo 29.534 (48%) internações M e 31.329 (51%) F; em SP o CT R$123.456.409,55 (50%) M e R$ 122.488.937,59 (49%) F com 52.314 (49%) internações M e 52.488 (51%) F.

Conclusão

O estado de SP teve prevalência no número de internações e no CT, podendo ser justificado pela alta densidade demográfica, como encontrado na literatura; seguido por MG, RJ e ES. Quanto ao sexo, o feminino predominou, cerca de 10%, tanto em número de internações quanto em CT, devendo esse gênero receber mais atenção quanto ao diagnóstico precoce da NMC.

Palavras-Chave

Custo total; Neoplasia Maligna de Cólon; Sudeste

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Bárbara Franccesca Brandalise Bassani, Andrei Leonardo Schuster, Paulo Roberto Cardoso Consoni