XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

TUBERCULOSE INTESTINAL, UM DESAFIO DIAGNÓSTICO: RELATO DE CASO

Apresentação do Caso

Paciente E. F. M., sexo masculino, 40 anos. Diagnóstico de doença de Crohn fistulizante há dois meses, em tratamento com corticoide e mesalazina. Internado após enterorragia com repercussão hematimétrica e necessidade de hemotransfusão. Perda ponderal de 30 kg nos últimos dois anos, associado à dor abdominal e diarreia crônica com cerca de oito evacuações diárias, fezes Bristol 6-7, com muco e sangue. Realizado propedêutica intestinal de germes oportunistas, otimizada dose de corticoide, iniciado metronidazol e suspenso mesalazina. À admissão, raio-x de tórax com consolidações pulmonares, sendo realizada tomografia computadorizada de tórax evidenciando alterações sugestivas de tuberculose pulmonar em atividade. Pesquisa de bacilos álcool-ácido resistentes positiva. Diante do diagnóstico pulmonar, levantado hipótese de tuberculose miliar com acometimento intestinal, sendo suspenso corticoide. Iniciado rifampicina, isoniazida, pirazinamida e etambutol. Colonoscopia com biópsia identificou achados compatíveis com doença de Crohn. O exame anatomopatológico mostrou ileíte e colite crônica granulomatosa com focos de necrose e pesquisa de bacilos álcool-ácido resistentes positiva, confirmando o diagnóstico de tuberculose intestinal. Paciente evoluiu com melhora clínico-laboratorial progressiva, mantendo média de duas evacuações diárias, fezes Bristol 3-4, e boa tolerância ao tratamento.

Discussão

A tuberculose intestinal é uma doença rara causada pelo bacilo Mycobacterium tuberculosis, podendo se confundir com outras patologias intestinais, como a doença de Crohn. Os sinais e sintomas são, principalmente, febre vespertina, sudorese noturna, perda ponderal, distensão abdominal, diarreia e sangramento intestinal. O exame padrão- ouro para o diagnóstico é a colonoscopia com biópsia, pois permite visualizar achados típicos, como granulomas e úlceras, além de identificar o agente etiológico através da pesquisa do bacilo álcool-ácido resistente, teste este de elevada especificidade. O tratamento não difere da forma pulmonar, sendo utilizado rifampicina, isoniazida, pirazinamida e etambutol, por 2 meses, seguidos de 4 meses com rifampicina e isoniazida.

Comentários finais

A tuberculose intestinal deve sempre ser considerada um diagnóstico diferencial da doença de Crohn, visto que a clínica, os aspectos endoscópicos e histológicos se sobrepõem. A diferenciação entre estas duas entidades é desafiante, mas é essencial para o tratamento adequado.

Palavras-Chave

Tuberculose; Tuberculose intestinal; Doença inflamatória intestinal; Doença de Crohn.

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Nayara Azevedo Pires, Francielly Alves Sampaio, Juliana Corsino Gonçalves, José Benedito Reis Carvalho , Iva Mara Paula De Oliveira