XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Sífilis gástrica : um relato de caso

Apresentação do Caso

V.L.F, 48 anos, sexo feminino. Paciente abriu quadro de epigastralgia e vômitos diários que pioravam após ingestão de frutas cítricas associados a perda ponderal de 7kg em 2 meses enquanto submetida a dieta restritiva. Na ocasião, prescreveu-se inibidor de bomba de prótons e fora solicitado endoscopia digestiva alta (EDA) com pesquisa de H. pylori. No retorno, paciente relatou permanência dos sintomas associado a hematoquezia, sendo prescrito sucralfalto, e relatou que os sintomas dispépticos foram precedidos pelo aparecimento de máculas eritematosas e descamativas na região palmar das mãos e plantar dos pés. A análise microscópica da biópsia mostrou material fibrino-necrótico com grande quantia de células inflamatórias, prevalecendo neutrófilos, em permeio, sem sinais de metaplasia intestinal e infecção por H. pylori. O estudo imuno-histoquímico evidenciou gastrite crônica com intenso infiltrado plasmocitário e pesquisa positiva de T. pallidum. Diante da suspeita de Sífilis Gástrica, foi solicitado VDRL (1/64) e IgM e IgG reagentes para o Treponema Pallidum, sendo feito terapia com Penicilina G Benzatina 2.400.000 intramuscular dose única. Após 15 dias, paciente retorna referindo melhora do quadro inicial.

Discussão

O quadro de sífilis gástrica não é usual nos dias atuais. Sua apresentação clínica mimetiza várias outras etiologias ao surgir com epigastralgia, anorexia, sensação de saciedade precoce, vômitos, náuseas e perda ponderal. Em pacientes jovens com sintomas dispépticos, deve-se excluir doenças neoplásicas, pois alguns achados endoscópicos e histológicos geram confusão, necessitando-se, invariavelmente, de EDA para avaliação. Segundo MYLONA et al (2010), os achados sugestivos são: ulcerações múltiplas/gastrite ulcerativa, mucosa nodular, erosões, úlcera grande, dobras espessas, estreitamento, rigidez e lesão de massa. Os achados histológicos sugerem um processo destrutivo, similar ao do linfoma ou do carcinoma gástrico, levando a consideração de tais diagnósticos em 85-95% dos portadores de sífilis gástrica. O ensaio histopatológico detecta endovasculite associado a infiltrado linfocítico e plasmocitário difuso. O tratamento proposto pela maioria dos autores é penicilina G benzatina 2.400.000 UI, via intramuscular, dose única.

Comentários finais

Assim, na presença de um processo inflamatório crônico visto na EDA sugere-se que sífilis gástrica esteja dentro dos diagnósticos diferenciais na investigação de queixas dispépticas.

Palavras-Chave

Gastrite; Sífilis; Treponema pallidum

Área

Gastroenterologia - Estômago/Duodeno

Autores

Preci Kelly Moura Santiago, Marcus Tullius Gomes, Jair Matos Segundo