XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

USO DE PROBIÓTICOS PARA CONSTIPAÇÃO EM PACIENTES COM PARKINSON: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA.

Introdução

A constipação é um dos sintomas não motores mais comuns em indivíduos com doença de Parkinson (DP), afligindo de 80 a 90% dessa população. Para a tratar, os laxativos são a intervenção farmacológica mais indicada. Quanto às intervenções não farmacológicas, há estudos promissores relacionados ao uso de probióticos, tanto isolados quanto associados aos probióticos.

Objetivo

Compilar, de forma sistemática, as evidências relacionadas ao uso de probióticos como terapia para a constipação em pessoas com DP.

Método

O presente estudo é uma revisão sistemática de literatura, na qual foram analisados estudos publicados nos últimos cinco anos na base de dados PubMED. Os descritores utilizados foram constipation, probiotics, Parkinson e o filtro full text. Foram incluídos nesta pesquisa ensaios clínicos randomizados na língua inglesa e excluídos aqueles que não se encaixavam no escopo desta revisão.

Resultados

Foram encontrados 26 estudos, dos quais quatro cumpriam os critérios de inclusão. Em um ensaio clínico randomizado duplo-cego controlado por placebo, comprovou-se que a administração de leite fermentado contendo probióticos em pacientes com DP e constipação causa um aumento da frequência dos movimentos intestinais completos e das evacuações completas. Outro ensaio clínico duplo-cego, o qual utilizou cápsulas de probióticos com múltiplas cepas, constatou que a consistência das fezes e a constipação melhoraram, havendo um aumento do número médio de evacuações espontâneas. Já no terceiro estudo foram utilizados probióticos com múltiplas cepas bacterianas e fruto-oligossacarídeo, demonstrando melhora na frequência evacuatória e redução do tempo de trânsito intestinal. Por fim, um último ensaio clínico comparou grupos que foram submetidos ao aumento do consumo de água e fibras, sendo um deles associado à trimebutina e outro aos probióticos. Demonstrou-se que ambos apresentaram melhoria nos sintomas de dor e distensão abdominal, porém, quanto à constipação com defecação incompleta, o primeiro grupo apresentou melhora com significância estatística, enquanto o segundo, uma melhora discreta e não estatisticamente significante, contrastando com os resultados obtidos nos estudos anteriores.

Conclusão

Sendo assim, conclui-se que múltiplos ensaios clínicos são favoráveis ao uso de probióticos para o tratamento da constipação em pacientes com DP. Porém, devido ao baixo número de achados, sugere-se que mais estudos sejam desenvolvidos na área.

Palavras-Chave

PARKINSON, CONSTIPAÇÃO, PROBIOTICOS

Área

Gastroenterologia - Microbiota/Probióticos

Autores

LARISSA MERCADANTE ASSIS, MARIA JULIA CALHEIROS SANTOS DINIZ, MARIA FERNANDA ALMEIDA CAVALCANTE ARANHA, AMANDA MARTINELLI OLIVEIRA, ANA CLARA ABREU LIMA PAULA, ISABELA ROVERATTI SPAGNOL