XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Prevalência de Sintomas em Pacientes diagnosticados com megaesôfago chagásico em centro de referência de Chagas no estado de Goiás.

Introdução

A Doença de Chagas, descoberta em 1909, foi uma das importantes endemias do Brasil no século XX, devido ao modo de vida rural. Embora a modernização reduziu a transmissão da doença, as milhões de pessoas afetadas pela tripanossomíase ainda buscam os serviços de saúde em decorrência dela. Diante disso, elucidar-se-á com este trabalho quais são as principais manifestações clínicas que os doentes se queixam no consultório, que associados aos históricos familiar e de vida do paciente norteará o médico quanto à hipótese de doenças de chagas.

Objetivo

Descrever, dentre os sintomas previstos em literatura médica, quais são os mais prevalentes, na prática, em pacientes com megaesôfago chagásico.

Método

Trata-se de um estudo transversal observacional descritivo-analítico, em que se selecionou 344 prontuários de pacientes atendidos em ambulatório especializado em doença de chagas do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás entre 2010 e 2020. Considerou-se os 13 sintomas predominantemente observados no ambulatório, previamente determinados em ficha própria. O resultado foi tabulado e calculado utilizando o software Excel.

Resultados

Nos 344 prontuários analisados, os 13 principais sintomas encontrados nos doentes, em ordem decrescente de predominância, foram: disfagia 97%, pirose 75%, regurgitação 66%, dor torácica 60%, má-digestão 55%, tosse noturna 48%, dor abdominal 41%, obstipação 39%, dispneia 32%, odinofagia 24%, soluços 21%, eructação 18% e sialorreia 6%. Ademais, em relação a quantidade de sintomas: 0,2% não apresentou nenhum tipo de sintoma, 25,8% de 1 a 3, 31% de 3 a 6, 31% de 6 a 9 e 12% de 10 a 13.

Conclusão

Nota-se, portanto, que as manifestações clinicas predominantes são disfagia, pirose e regurgitação e que cerca de metade dos pacientes, além de apresenta-los, queixar-se-ão também de dor torácica, má digestão e tosse noturna. Por fim, 74% dos doentes evidenciarão pelo menos 3 dos sintomas acima.

Palavras-Chave

Área

Gastroenterologia - Esôfago

Autores

Gabriel Baêta Branquinho Reis, Arthur Marot de Paiva, Pedro Henrique Ávila Perillo , Hugo Francisco da Fonseca Neto , Diogo Henrique Saliba Souza , Joffre Rezende Filho