XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Doença de Crohn e a importância das suas manifestações extra-intestinais – Um relato de caso

Apresentação do Caso

Paciente, feminina, 22 anos, apresentou corrimento vaginal amarelado que evoluiu para úlceras genitais e, depois, orais. Foi avaliada pela Ginecologia que não identificou nenhuma DST e optou por tratamento empírico de candidíase e vaginose bacteriana. Por não ter tido melhora, foi avaliada pela Dermatologia que realizou biópsias das úlceras genitais com resultados inespecíficos. Paciente relatou piora de uma diarréia que já apresentava há um ano associada a desnutrição, quando foi encaminhada para a Gastroenterologia. Nesta ocasião, notou-se ainda função renal (FR) alterada associada a espumúria. Notaram-se diversos exames alterados, entre eles: piora da Cr, EAS com hematúria, leucocitúria e proteinúria, dismorfismo eritrocitário presente, consumo de C3 e C4, FAN reagente 1/640 com padrão nuclear pontilhado fino, Coombs direto positivo, antitransglutaminase tecidual negativo, coprocultura negativa, EPF negativo, sangue oculto nas fezes positivo, pesquisa de gordura fecal negativa. A EDA e a colonoscopia apresentaram inúmeras úlceras aftoides, com suas respectivas biópsias confirmando DC. Pela piora importante da FR, optou-se por biópsia renal que confirmou o diagnóstico de N-IgA.

Discussão

O envolvimento geniturinário na DC é relatado em até 25% dos pacientes, principalmente como cálculos urinários, fístulas e lesão tubular, mas doença renal parenquimatosa é rara.A N-IgA é o subtipo mais comum de glomerulonefrite e pode estar associada a doenças patogênicas. Relatos de casos tem demonstrado a associação entre N-IgA e DC. O mecanismo da complicação entre elas é discutida em três pontos. Primeiro, a absorção sistêmica de IgA no local da inflamação da mucosa intestinal está associado a N-IgA. Em segundo lugar, o envolvimento de um fator genético comum, especialmente o HLA-DR1, que tem sido o fator suspeito que fornece uma ligação entre a DC e a N-IgA. Terceiro, o linfócito T auxiliar anormal pode contribuir para a patogênese associada a essas duas doenças. A N-IgA secundária à DII é provável que represente uma interação complexa entre inflamação da mucosa, perda da exclusão antigênica e tolerância, estimulação imunológica crônica e desregulação da produção e do transporte de IgA.

Comentários finais

Parece haver uma ligação entre DC e N-IgA. É importante reconhecer que a glomerulonefrite por deposição de imunocomplexos, particularmente a N-IgA, é uma potencial manifestação extraintestinal da DC, que ocorre no contexto de inflamação do intestino.

Palavras-Chave

Doença de Crohn, Manifestação extra-intestinal, Nefropatia por IgA.

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

LETICIA C ADORNO