XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Efeito do Ácido Ursodesoxicólico no desenvolvimento de Colangiocarcinoma em pacientes portadores de Colangite Esclerosante Primária: Uma Revisão Sistemática de Literatura

Introdução

A Colangite Esclerosante Primária é uma doença colestática crônica que resulta no estreitamento do lúmen ductal. Sua fisiopatologia e os mecanismos de sua progressão ainda não estão claros, mas as complicações decorrentes dessa progressão são de grande relevância para a clínica médica. Atualmente, a complicação mais ameaçadora da Colangite Esclerosante Primária é o desenvolvimento de Colangiocarcinoma, uma neoplasia altamente maligna com mortalidade em torno de 90%. Apesar de ser uma doença incurável e de ter apenas o transplante de fígado como única forma de sobrevivência desses pacientes, o tratamento da colestase crônica, uma das principais complicações da Colangite Esclerosante Primária, já é bastante difundido. Dentre os principais medicamentos utilizados, o Ácido Ursodeoxicólico, também chamado de Ursodiol, está presente nos planos terapêuticos por retardar a progressão da estenose do ducto biliar, aumentar as chances de sobrevida e ser bem tolerado pelos pacientes.

Objetivo

O objetivo do e estudo é avaliar se o uso de Ursodiol em pacientes com Colangite Esclerosante Primária interfere no desenvolvimento de Colangiocarcinoma

Método

Trata-se de uma revisão sistemática de estudos observacionais e ensaios clínicos randomizados realizada em diferentes bancos de dados virtuais, de acordo com protocolo PRISMA

Resultados

Foram encontrados 925 estudos e apenas 13 foram incluídos na revisão sistemática, atendendo aos critérios de qualidade do protocolo. Destes, 6 (46%) estudos foram ensaios clínicos randomizados, duplo-cegos e controlados por placebo, enquanto 7 (54%) eram estudos observacionais na forma de coortes retrospectivas e prospectivas. Nenhum estudo demonstrou efeito protetor do Ursodiol no desenvolvimento de Colangiocarcinoma entre os grupos avaliados.

Conclusão

Colangite Esclerosante Primária se configura uma doença com características variadas, com curso imprevisível, apresentando complicações ameaçadoras como o Colangiocarcinoma. Este, por sua vez, apresenta-se como um desafio para a medicina devido ao seu diagnóstico ser extremamente difícil e poucas drogas influenciarem em seu prognóstico. Na literatura ainda não há consenso sobre a existência ou não de algum tratamento que seja eficaz em atrasar o desenvolvimento e progressão do Colangiocarcinoma, tornando imprescindível a realização de estudos com amostras maiores e tempo de observação mais longos, com desenhos e protocolos bem definidos para elucidar esses questionamentos e poder oferecer uma maior sobrevida a esses pacientes.

Palavras-Chave

Colangite Esclerosante Primária; Colangiocarcinoma; Acido Desoxicólico

Área

Gastroenterologia - Pâncreas e Vias Biliares

Autores

Vaner Paulo Silva Fonseca Pinheiro, Antonio Ricardo Cardia Ferraz Andrade