XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CÂNCER COLORRETAL: UMA CARACTERIZAÇÃO DO PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DO ESTADO DO PARANÁ

Introdução

Considerada uma enfermidade grave e com desenvolvimento progressivo, o câncer acomete indiferenciadas faixas etárias, acarretando altas taxas de morbimortalidade, caso não tenha sido diagnosticada e tratada de maneira precoce. Conforme a OMS, a incidência mundial de câncer é de mais de 10 milhões de novos casos por ano. A incidência é aumentada com a idade, especialmente a partir dos 60 anos, faixa que abriga 90% dos doentes. Os tratamentos mais utilizados são cirurgia, quimio e radioterapia. Dessa maneira, a quimioterapia pode ser utilizada como tratamento adjuvante ou neoadjuvante da cirurgia, a fim aumentar a taxa de cura. A cirurgia feita é de ressecção do local afetado juntamente com uma colostomia permanente.

Objetivo

Esse estudo visa caracterizar o perfil epidemiológico de indivíduos diagnosticados com câncer colorretal no estado do Paraná

Método

Trata-se de um estudo descritivo e retrospectivo sobre câncer colorretal (CC). Os dados foram obtidos da da plataforma de informações de saúde (TABNET) do INCA. Foram analisados os seguintes indicadores: sexo, faixa etária, cor e escolaridade, no período de 2015 a 2018. Esses dados foram analisados por meio do Microsoft Excel e posteriormente descritos neste trabalho

Resultados

Ocorreram no estado, 6.971 notificações pelo sistema de saúde de CC, sendo masculino o sexo mais afetado pelo câncer 52,07% em comparação com o sexo feminino 47,93%. A faixa etária mais acometida de 60-64 anos 14,73%. Em relação à raça, a mais afetada foi a Branca com 81,16%.Sobre a escolaridade, pacientes que completaram o Ensino Fundamental foram os mais acometidos 18,49% .A respeito do histórico do consumo de bebidas alcoólicas, 42,52% nunca ingeriram,7,19% são ex-consumidores, 8,51% são consumidores. Sobre o histórico tabagista, 40,41% nunca fumaram, 15,95% são ex-tabagistas, 9,73% são tabagistas. Com relação a história familiar de câncer 31,82% apresentaram casos, 25,78% não apresentaram.

Conclusão

O câncer hepático tem alta letalidade, é imprescindível estudos que rastreiem a incidência e prevalência dessa patologia para sua prevenção. Os dados confirmaram que muitos dos fatores envolvidos no desenvolvimento dessa neoplasia estão ligados a hábitos de vida, sendo, portanto, modificáveis. É evidente assim a necessidade de políticas públicas que informem, rastreiem e combatam esses fatores desencadeadores, auxiliando na prevenção dessa neoplasia

Palavras-Chave

Câncer colorretal, Paraná, perfil epidemiológico, sexo

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Vinícius Sousa Morais, Thaylise Caroline Yurk, Juliana Emi Shimabukuro, Jaime Ventura Silva Junior, Guilherme Augusto Minato