XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Estudo da relação entre grupo radiológico e a idade de pacientes com megaesôfago chagásico em hospital terciário de Goiânia, GO

Introdução

A doença de Chagas (DC) é uma zoonose endêmica no Brasil, em que se estima que o número de infectados varia de 1,9 a 4,6 milhões de pessoas. O megaesôfago, uma das manifestações mais comuns da DC, é classificado desde 1960 pela radiografia contrastada, sendo dividido em 4 grupos. O grupo radiológico da esofagopatia chagásica de Rezende vem sendo utilizada para classificar essa comorbidade de acordo com a magnitude da dilatação, atividade motora e tônus do esôfago, sendo o grupo I conceituado com dificuldade de esvaziamento e leve hipotonia até o grupo IV que apresenta dilatação intensa do esôfago.

Objetivo

Analisar a relação entre o grupo radiológico e a idade de pacientes com megaesôfago chagásico

Método

Estudo transversal do tipo observacional descritivo retrospectivo em que se avaliou os prontuários de paciente atendidos no ambulatório de DC de hospital de referência em Goiânia, GO entre 2010 e 2020. Foram incluídos pacientes de ambos os sexos maiores de 18 anos e portadores de megaesôfago chagásico. Foram excluídos os prontuários que não continham todos os dados necessários na coleta. Os dados foram tabulados e analisados utilizando o software Excel com o uso do teste t de Student para amostras independentes.

Resultados

No grupo I, foram avaliados 100 pacientes, com idade média de 54,83 anos (±10,71). No grupo II, foram avaliados 97 pacientes, possuindo idade média de 59,77 anos (±10,87). No grupo III, com 70 pacientes, apresentou média de idade de 61,62 anos (±11,62). No grupo IV, avaliando 46 pacientes, a idade média foi de 61,86 anos (±11,69). No teste t de Student de amostras independentes, foi observado diferença significativa das idades do grupo I quando comparado com os grupos 2, 3 e 4 (p-valor <0,05), possuindo uma população mais jovem quando comparada aos demais grupos. O grupo II não mostrou diferença significativa quando comparados com os grupos III (p=0,146) e IV (p=0,147) e o grupo III também não apresentou diferença significativa quando comparado com o grupo IV (p=0,456).

Conclusão

Observou-se que as pessoas pertencentes ao grupo I possuem menor idade ao serem comparadas aos demais grupos radiológicos. No entanto, mostrou que não há diferença entre a idade e o grupo radiológico pertencente quando se compara os grupos II, III e IV, o que reforça que o grupo radiológico não tende a progredir com a idade, sendo essa informação fundamental na escolha terapêutica empregada em pacientes com megaesôfago.

Palavras-Chave

Doença de Chagas; Acalasia Esofágica; Idade;

Área

Gastroenterologia - Esôfago

Autores

Arthur Marot de Paiva, Gabriel Baêta Branquinho Reis, Pedro Henrique de Ávila Perillo, Diogo Henrique Saliba Souza, Joffre Rezende Filho