XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Coledocolitíase gigante: uma abordagem desafiadora

Apresentação do Caso

Paciente F.F, 38 anos, masculino, sem morbidades prévias apresentou-se na emergência com quadro de dor em hipocôndrio direito, de moderada intensidade, tipo cólica, com irradiação para dorso e com Sinal de Murphy presente. Diagnosticado com colecistite litiásica, foi submetido à videocolecistectomia. Após 11 anos o paciente apresentou novo episódio de dor abdominal, cuja colangiorressonância magnética (CRMN) constatou colédoco dilatado com cálculo de 1,2 cm no seu interior, dilatação das vias biliares e cálculos intra-hepáticos. Foi submetido à CPRE com retirada dos cálculos do hepatocolédoco. Aproximadamente três anos depois o paciente iniciou outra vez com sintomas abdominais e a CRMN detectou cálculo no hepatocolédoco medindo 2,3 x 1,8 cm nos seus maiores diâmetros com dilatação da árvore biliar à montante. Realizada dilatação da anastomose coledocoduodenal e exploração da via biliar, com retiradas de múltiplos cálculos.
No ano de 2019, aos 56 anos de idade, apresentou dor abdominal intensa, vômitos, febre por uma semana associada a icterícia (+/4+). Nos exames laboratoriais iniciais foram notáveis os resultados de bilirrubinas (Total: 8.17 mg/dL, Direta: 5.33 mg/Dl) e fosfatase 164 U/L. A CRMN revelou um cálculo gigante medindo 48,0 mm x 16,2 mm x 18,2 mm no hepatocolédoco com dilatação da via biliar à montante e sinais de anastomose biliodigestiva estenosada. Prosseguiu-se, então, com a extração cirúrgica por coledocotomia, finalizando com uma nova anastomose coledocojejunal em Y de Roux término lateral.

Discussão

Os cálculos primários do ducto colédoco são habitualmente cálculos pigmentares marrons que se manifestam em pacientes com colestase decorrente de infecções biliares, estenose ou tumores das vias biliares e anomalias anatômicas. Os cálculos do colédoco podem ser assintomáticos durante anos e serem eliminados pelo trato gastrointestinal. A prevalência de sintomas em pacientes com coledocolitíase situa-se em torno de 10 a 20% e os principais quadros clínicos da coledocolitíase são caracterizados por dor em hipocôndrio direito, icterícia, colúria e acolia fecal. O tratamento cirúrgico da coledocolitíase tem grande validação em casos de cálculos gigantes como foi descrito no presente relato.

Comentários finais

A coledocolitíase é uma condição que gera alta morbimortalidade e deve ser abordada precocemente para evitar maiores repercussões. Entretanto, os cálculos gigantes de colédoco são um desafio para a terapêutica definitiva e podem recidivar, o que exige novas abordagens.

Palavras-Chave

coledocolitíase primária; litíase recorrente; cálculos biliares.

Área

Gastroenterologia - Pâncreas e Vias Biliares

Autores

Henrique Garbellotto Brites, Henrique Guimarães Aires e Silva, Caroline Linhares Wiggers