XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Análise e comparação da quantidade de sintomas relatados e o grupo radiológico em pacientes portadores de megaesôfago chagásico em hospital universitário

Introdução

A doença de Chagas (DC) é uma zoonose endêmica no Brasil, em que se estima que o número de infectados varia de 1,9 a 4,6 milhões de pessoas no país. O megaesôfago chagásico é uma das importantes manifestações clínicas da DC, com ampla sintomatologia e implicação na qualidade de vida do paciente, sendo que esses podem ser divididos em 4 grupos pela classificação radiológica de Rezende, sendo avaliado o grau de comprometimento da acalasia.

Objetivo

Analisar e comparar a quantidade de sintomas em pacientes portadores de megaesôfago chagásico com o grupo radiológico dos pacientes.

Método

Estudo transversal retrospectivo em que realizou-se a análise de prontuários de 2010 a 2020 com avaliação dos sintomas já previamente definidos por ficha própria e o grupo radiológico pela classificação de Rezende. Os sintomas avaliados foram: disfagia, regurgitação, dor torácica, odinofagia, pirose, soluço, eructação, salivação, tosse noturna, obstipação, dispneia, má digestão e dor abdominal, totalizando 13 sintomas. Os dados foram tabulados e calculados utilizando o Excel®. Para análise estatística utilizou-se o programa SPSS Statistics®

Resultados

No total, foram incluídos 313 pacientes diagnosticados com megaesôfago chagásico, sendo 100 do grupo radiológico I, 97 do grupo II, 70 do grupo III e 46 do grupo IV. No grupo I, a média de sintomas foi de 3.86 (±2.38), no grupo II foi de 5.87 (±2.34), no III a média foi de 7.11 (±2.43), por fim, no grupo IV foi 8.85 (±2.57). No teste estatístico teste t de Student, foi verificada diferença significativa estatisticamente (p<0,05) comparando-se a média de sintomas dos quatro grupos entre si.

Conclusão

Foi observado correlação entre o grupo radiológico e a quantidade de sintomas relatados. Os pacientes em grupo radiológicos com maior comprometimento, relataram um maior número de sintomas, enquanto os pacientes em grupos com menor comprometimento, relataram menos sintomas. Assim, torna-se evidente a importância do médico e da equipe multiprofissional estarem atentos nas diversas sintomatologias que o paciente pode apresentar devido a diferença terapêutica clínica e cirúrgica de cada grupo radiológico.

Palavras-Chave

Doença de Chagas; Acalasia Esofágica; Sintoma

Área

Gastroenterologia - Esôfago

Autores

Arthur Marot de Paiva, Gabriel Baêta Branquinho Reis Reis, Pedro Henrique de Ávila Perillo, Diogo Henrique Saliba Souza, Joffre Rezende Filho