XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Gastropatia Hipertensiva Portal secundária a COVID-19

Apresentação do Caso

DNF, 41 anos, masculino, casado, com antecedente de dislipdemia, resistência insulínica. Teve infecção por COVID-19 em junho de 2020, foi a consulta no dia 09/10/2020 queixando-se de epigastralgia, pirose e regurgitação. Foi realizada uma Endoscopia Digestiva Alta, no dia 21/10/20, que apresentava: esofagite erosiva de terço distal leve (grau A de Los Angeles), pangastrite enantemática e edematosa leve com aspecto sugestivo da gastropatia da hipertensão portal, lesão elevada de aspecto polipóide no fundo gástrico compatível com pólipo yamada classe II, que foi retirado endoscopicamente por polipectomia e bulboduodenite enantemática e edematosa leve, sendo observado ainda aumento da trama vascular do esôfago distal, sem caracterizar a presença de varizes esofágicas. Na ocasião, foi feito a pesquisa sobre as causas de gastropatia hipertensiva, que foram todas negativas e foi prescrito tratamento com rabeprazol 20mg/dia por 12 semanas. Paciente evoluiu com melhora dos sintomas da Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE). Realizou uma nova endoscopia no dia 23/06/2021 que demonstrava apenas: esofagite de terço distal leve, pangastrite enantemática e edematosa leve e bulboduodenite enantemática, edematosa e erosiva leve.

Discussão

A gastropatia hipertensiva portal (GHP) é um achado endoscópico comum em pacientes com cirrose hepática e representa uma relevante causa de hemorragia gastrointestinal alta. O mecanismo da GHP ainda é mal compreendido, no entanto, presume-se que a hipertensão portal nesses pacientes provavelmente cause as alterações hemodinâmicas e de mucosa. COVID-19 é uma síndrome respiratória nova e aguda que é causada pelo coronavirus 2 (SARS-CoV-2). Mesmo que o acometimento pulmonar seja o mais importante, manifestações extrapulmonares também são bem abundantes. Uma proporção importante dos pacientes que tiveram infecção por COVID-19, graves ou não, apresentaram sintomas ou alterações morfofuncionais a longo prazo, mesmo após o período de infecção. Tendo sido excluído as causas de gastropatia hipertensiva no paciente e levando em consideração o período de regressão das alterações, concluímos que a GHP poderia ter sido uma manifestação tardia da infecção por COVID-19.

Comentários finais

O caso descrito reforça a importância de continuarmos ampliando nossas pesquisas sobre a pós infecção do COVID-19 e demonstra que esta doença pode levar a uma gastropatia hipertensiva portal transitória.

Palavras-Chave

gastropatia hipertensiva portal, Covid-19

Área

Gastroenterologia - Fígado

Autores

Felipe Oliveira Carvalho, Luiza Lacks Diogo, Lucas Oliveira Carvalho, Mauricio Ferreira Carvalho, Elze Maria Gomes OLIVEIRA