XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Condições associadas a doença do refluxo gastroesofágico em um Hospital Universitário do Amazonas

Introdução

A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) é um distúrbio da motilidade gastrointestinal que resulta do refluxo do conteúdo do estômago para o esôfago ou cavidade oral, causando sintomas ou complicações. Os sintomas típicos da DRGE são pirose e regurgitação do conteúdo gástrico para a orofaringe. A pirose é um dos sintomas mais comuns de DRGE; é estimado que entre 20% e 40% dos pacientes com este sintoma terão diagnóstico de DRGE. Os sintomas atípicos de DRGE incluem dor torácica não cardíaca, tosse crônica, rouquidão, pigarro frequente e distúrbios do sono.

Objetivo

Descrever os fatores socioeconômicos, demográficos, características emocionais, variáveis comportamentais e índice de massa corporal em pacientes de livre demanda em um Hospital Universitário do Amazonas.

Método

Foram avaliados 50 pacientes portadores de Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE), entre junho de 2018 e março de 2019. Foi utilizado questionário contendo variáveis referentes aos fatores socioeconômicos, demográficos, características emocionais, variáveis comportamentais e IMC dos mesmos.

Resultados

A idade dos pacientes variou de 19 a 62 anos, com média de 39,4 anos. Dentre os pacientes, 46% frequentaram ensino médio completo, 60% apresentavam renda de até um salário mínimo e 94% dos pacientes eram de Manaus. Nota-se que 62% dos participantes pertenciam ao sexo masculino, o que difere da maioria dos estudos. Pirose foi relatada em 96% dos pacientes. Dentre os sintomas atípicos, o pigarro ocorreu em 14% seguido por plenitude pós-prandial (48%), flatos (48%) e distensão abdominal (20%). No que tange aos fatores associados, a insônia foi problema relatado em 74% das pessoas. Além disso, 50% dos entrevistados definiu baixo nível de bem-estar psicológico e 34% referiram conviver com mais de três eventos estressantes. Os indivíduos com os piores índices de bem-estar tinham uma prevalência de DRGE de 53,8%. Na pesquisa, 82% informaram não fazer uso de bebida alcoólica e 88% negaram tabagismo. Adicionalmente, 56% encontravam-se na faixa de peso normal de IMC e 2% em nível de obesidade.

Conclusão

Este estudo visou identificar as características mais prevalentes em portadores de DRGE. Os resultados comportamentais e sociodemográficos diferiram de outras fontes de literatura, provavelmente devido à menor população analisada neste estudo em relação aos demais. Visto que existem divergências sobre os fatores associados a DRGE, é sugerido realizar trabalhos com desenhos mais robustos, como estudos de coorte e casos e controles.

Palavras-Chave

Doença do Refluxo Gastroesofágico; Pirose.

Área

Gastroenterologia - Estômago/Duodeno

Autores

Yanna Queiroz Pereira de Sá, Ketlin Batista de Morais Mendes, Ananda Castro Chaves Ale, Rodrigo Oliveira de Almeida, Thayane Vidon Rocha Pereira, Ana Beatriz da Cruz Lopo de Figueiredo, Bruno Taketomi Rodrigues, Lyrkis Paraense Barbosa Silva Neto, Wanderson Assunção Loma, Antonio Solon Mendes Pereira, Arlene dos Santos Pinto, Aline de Vasconcellos Costa e Sá Storino, Wilson Marques Ramos Júnior