XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DESAFIOS DO DIAGNÓSTICO DE DOENÇA DE CROHN NO IDOSO: RELATO DE CASO

Apresentação do Caso

Paciente J.P.C.F, 67 anos, sexo masculino, procedente de Marilândia-MT, encaminhado para consulta ambulatorial em nosso serviço de coloproctologia queixando-se de dor em região anal e incontinência fecal há 1 ano, e quadro de 6 episódios de diarreia com sangue e muco há 6 meses. Ao exame proctológico apresentava a região perineal com destruição parcial, múltiplas fistulas e estenose de canal anal impossibilitando o toque retal na ocasião. Realizado exame proctológico sob sedação para debridamento, colocação do sedenho e realização de biópsia de região perianal, que descartou neoplasia ou agentes infecciosos na amostra. A colonoscopia evidenciou áreas de cicatrizes com diminuição da elasticidade de calibre, com ulcerações recobertas por fibrina em íleo terminal, válvula ileocecal, ceco, cólon transverso, descendente e reto inferior, correspondendo a doença de crohn em atividade moderada. Anatomopatológico evidenciou pseudopólipo inflamatório com infiltrado linfo-plasmocitário, contendo eosinófilos e granulomas epitelióides. Paciente evoluiu com melhora da dor em região anal, e da saída de secreção dos orifícios fistulosos após colocação dos sedenhos. Foi optado por iniciar anti-TNF alfa (infliximabe- 5mg/kg) devido gravidade da doença fistulizante. Após 3 meses de início da terapêutica o paciente evoluiu com melhora importante do quadro clínico e cicatrização da região perianal, sendo optado pela retirada dos sedenhos. Paciente encontra-se em acompanhamento no nosso serviço, no momento relata evacuações pastosas, cerca de 2 episódios/dia sem sangue ou muco, e ausência de dor anal ou saída de secreção dos orifícios fistulosos.

Discussão

A doença de Crohn (DC) apresenta uma incidência com distribuição bimodal. O primeiro pico ocorre entre 15 e 29 anos, o segundo, em idosos (acima de 60 anos). Nesta faixa etária o diagnóstico torna-se mais difícil e muitas vezes um desafio, devido a alta prevalência de condições que mimetizam a doença inflamatória intestinal (DII) no idoso. Aproximadamente 10 a 20% dos casos de DII são diagnosticados após 60 anos de idade.

Comentários finais

Embora a DC seja mais rara em idosos, este relato de caso denota a importância de considera-la como parte do diagnóstico diferencial neste grupo, em qualquer paciente que apresente sintomas gastrointestinais típicos.

Palavras-Chave

Idoso; Crohn

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Camila Sinkos, Raíssa do Carmo Viturino, Luciana Rocha Almeida, Mardem Machado Souza, João Márdio Paixão França, Heveline Trajano Vasconcelos, Kárida Franciely Alves Barbosa, Mariana Barros Marcondes, Rodrigo Fedatto Beraldo