XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Câncer Gástrico Precoce: Cirurgia ou Endoscopia?

Introdução

Câncer gástrico é uma doença importante, responsável pela quinta causa de morte por câncer no Brasil. Tem incidência maior em homens geralmente acima dos 60 anos. Sua detecção precoce garante uma sobrevida maior e, como há na literatura controvérsias acerca da terapêutica do câncer gástrico precoce, resolvemos estudá-la.

Objetivo

O objetivo deste estudo foi realizar uma revisão horizontal no método-PRISMA para avaliar qual a melhor abordagem no câncer gástrico precoce: cirurgia ou endoscopia.

Método

Seis revisores independentes com as palavras-chave “comparação”, "dissecção endoscópica submucosa", "ressecção cirúrgica", "câncer gástrico precoce", "early gastric cancer", "treatment", "surgery" e "endoscopic" na base de dados do PubMed obtiveram 19 artigos. Critérios de inclusão: adultos com câncer gástrico precoce submetidos a terapêutica laparoscópica cirúrgica ou endoscópica (ESD). Exclusão: artigos não em inglês; duplicados; que não abordavam a comparação; e antes de 2015.

Resultados

Sobrevida geral: sem diferenças. Evento Adverso: menores na ESD. Risco: inconclusivo. Recorrência: menor na cirurgia. Tempo de internação: menor na ESD. Custo: menor na ESD. Dos 19 artigos os desfechos foram: sobrevida geral: anteriormente havia maior sobrevida na gastrectomia, porém nossos resultados não revelaram diferença entre as abordagens, provavelmente devido a avanços nas técnicas endoscópicas com menos erros no procedimento e maior precisão na retirada do tumor. Taxa de evento adverso: menores taxas de efeito adverso na ESD possivelmente pelo maior risco de infecção da cirurgia. Taxa de risco: inconclusivo, porém discutível, pois o risco de perfuração é maior na endoscopia pelo seu menor campo de visão cirúrgico. Taxa de recorrência: 14 artigos concluíram por taxas de recorrência significativamente mais altas no grupo ESD, quando comparado com o grupo cirurgia. Justificada pela não ressecção total do tumor na ESD, por campo visual restrito com menor mobilidade do cirurgião. Tempo de internação hospitalar: todos concluíram que pacientes submetidos à ESD possuem tempo de internação hospitalar reduzido, possivelmente por ser uma incisão menor. Custo: ESD foi a menos custosa por ser uma cirurgia de menor porte.

Conclusão

A ESD revelou-se mais eficiente no tratamento do câncer gástrico precoce, exceto pela taxa de recorrência.

Palavras-Chave

comparação, dissecção endoscópica submucosa, ressecção cirúrgica, câncer gástrico precoce

Área

Gastroenterologia - Estômago/Duodeno

Autores

Mariana de Toledo Concato, Barbara de Araujo Casa, Murilo Rocha Laragnoit de Martino, Gabriela Yumi, Natalia Pires de Sant'Anna, Kaissan Nahi Said Shukair, Ethel Zimberg Chehter