XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Perfil de pacientes portadores de hepatite B em um ambulatório de referência em Manaus

Introdução

A infecção pelo vírus da hepatite B (HBV) é sabidamente um problema de saúde pública global. Estima-se que existam mais de 240 milhões de portadores de HBV no mundo, dos quais aproximadamente 600.000 morrem anualmente de doença hepática relacionada ao HBV. O HBV é o mais versátil dos vírus hepatotrópicos e pode causar: hepatite aguda; hepatite crônica; cirrose hepática; hepatite fulminante com necrose hepática e portadores assintomáticos. E ainda desempenha um papel importante no desenvolvimento do carcinoma hepatocelular. Notadamente torna-se importante a aquisição do perfil clínico e epidemiológico da infecção por HBV, com o propósito de descrever e analisar as características demográficas, epidemiológicas e clínicas da casuística

Objetivo

- Descrever as características sociodemográficas e clínicas em pacientes portadores de hepatite B em um ambulatório de referência em Manaus

Método

No Serviço de Hepatologia, pertencente a FMT-HVD, em Manaus, foram avaliados 44 pacientes de livre demanda, entre junho de 2018 e junho de 2019, portadores de HBV, sendo incluídos todos os pacientes notificados na presença dos seguintes marcadores sorológicos: HBsAg e/ou Anti-HBc IgM e/ou Anti-HBc IgG e/ou HBeAg e/ou Anti-HBe.
Foram utilizados registros, obtidos a partir de um questionário desenhado especialmente para este estudo. Os resultados foram apresentados em forma de percentuais, média, mediana e desvios padrões. Para as análises, foi utilizado o programa Spss 21.0.

Resultados

Foram incluídos neste estudo 44 pacientes portadores do HBV, com uma média de idade de 41 anos. Dos pacientes avaliados 24 (54,5%) eram do gênero masculino e 20 (45,4%) do gênero feminino, 42 (68%) declararam comportamento heterossexual, 12 (24%) homossexual e 04 (08%) bissexual; 29 (58%) dos doentes avaliados tinham nível médio de escolaridade, 45 (90%) possuía renda de até 3 salários mínimos. Sobre a escolaridade dos doentes a maior parte apresenta apenas ensino fundamental. A coinfecção com vírus D acorreu em 40,9% dos pacientes. Em relação a estágio de doença, observou-se que 90% dos pacientes apresentavam a forma crônica de Hepatite B. Quanto a alteração laboratorial mais encontrada, notavelmente, foi plaquetopenia.

Conclusão

Hepatite B ainda é um problema de saúde pública no Brasil, com importância ainda maior na Amazônia Ocidental, onde sua associação com vírus delta apresenta sua maior taxa do país. Uma dessas estratégias de prevenção é a cobertura vacinal ainda mais ampla e políticas de testagem da população vulnerável.

Palavras-Chave

Hepatite B; Hepatite D; Prevenção.

Área

Gastroenterologia - Estômago/Duodeno

Autores

Marcela Bentes Macedo, Ketlin Batista de Morais Mendes, Ananda Castro Chaves Ale, Thayane Vidon Rocha Pereira, Rodrigo Oliveira de Almeida, Patricia Jeane de Oliveira Costa, Antonio Solon Mendes Pereira, Emídio Almeida Tavares Júnior, Arlene dos Santos Pinto, Aline de Vasconcellos Costa e Sá Storino, Wilson Marques Ramos Júnior