XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Úlcera gástrica por Citomegalovirus em paciente imunocompetente: relato de caso

Apresentação do Caso

Paciente masculino, 80 anos, procurou atendimento por quadro de plenitude pós-prandial e epigastralgia nos últimos 2 meses. Previamente hipertenso e portador de Diabetes Mellitus tipo II com bom controle (HbA1c: 6,0). Sorologia Anti-HIV não reagente, Citomegalovirus (CMV) IgG reagente/IgM não reagente, antigenemia CMV negativa e PCR CMV negativo. O exame de endoscopia digestiva alta denotou lesão ulcerada gástrica acometendo a parede anterior e a pequena curvatura, na transição do corpo para o antro, com 40mm de diâmetro, fundo recoberto por fibrina e bordos irregulares. O exame anatomopatológico da úlcera revelou mucosa gástrica com inflamação crônica ulcerada, extensas alterações epiteliais de provável caráter reacional e focos de necrose com exsudato fibrino-leucocitário. Ausência de metaplasia intestinal ou displasia e presença de Helicobacter pylori. O estudo imunohistoquímico revelou CMV (CCH2+DDG9) positivo em pequenos focos celulares em meio à área ulcerada. Foi realizado tratamento com Ganciclovir endovenoso durante 14 dias e terapia tríplice para Helicobacter pylori pelo mesmo período. Em exame de controle, realizado após o tratamento antiviral, evidenciou-se melhora do aspecto endoscópico, permanecendo apenas área ulcerada em fase final de cicatrização. O estudo imunohistoquimico do exame de controle demonstrou CMV (clone CCH2 + DDG9): negativo.

Discussão

A úlcera gástrica provocada por Citomegalovírus é uma doença incomum em pacientes imunocompetentes. Os sinais e sintomas são inespecíficos, sendo necessária endoscopia digestiva alta com biópsia para diagnóstico da doença. A suspeita da infecção por CMV como causa de úlceras em pacientes imunocompetentes ocorre principalmente quando as etiologias mais frequentes já foram descartadas ou a lesão apresenta característica macroscópica atípica. No caso relatado, a presença de características endoscópicas muito pouco sugestivas de doença péptica, motivou a investigação com estudo imunohistoquímico

Comentários finais

A infeção por CMV não deve ser descartada como causa de úlceras gástricas mesmo em pacientes imunocompetentes, muito embora seja um achado raro. Assim, devemos estar vigilantes para incluir esse agente no diagnóstico diferencial e propiciar o tratamento adequado.

Palavras-Chave

Úlcera, Citomegalovirus, Endoscopia

Área

Gastroenterologia - Estômago/Duodeno

Autores

Leonardo Santini, João Pedro Gallina, Nathalie Bordignon Brum, Vinícius Wietholter, Raísa Perdomo Felix, Carlos Kupski, Eduardo Emerim, Gabriel Stefani Leão