XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

SUBOCLUSÃO INTESTINAL POR ENTERITE ACTÍNICA PÓS RADIOTERAPIA PÉLVICA

Apresentação do Caso

R.S., feminina, 38 anos, relata dor e distensão abdominais há 2 meses, associadas a obstipação, vômitos e perda ponderal de 10Kg em 04 meses. Antecedente de histerectomia subtotal por miomatose uterina e história de câncer de colo uterino há 1 ano, tratado com remoção do colo, 25 sessões de radioterapia e 04 de braquiterapia. Ao exame físico, paciente emagrecida com abdômen distendido. Tomografia de abdome evidenciou espessamento difuso de alças do intestino delgado e redução do calibre de segmentos ileais na fossa ilíaca direita com distensão de alças jejunais à montante e níveis hidroaéreos. Os achados foram considerados inespecíficos. A história clínica e antecedentes suscitou enterite actínica como principal hipótese diagnóstica. Paciente não teve condições clínicas de ser submetida à colonoscopia pelo quadro suboclusivo. Devido refratariedade às medidas clínicas, foi submetida à laparotomia exploradora: segmentos ileais distais exibiam espessamento e palidez, com suspeita intraoperatória de enterite actínica. Realizada ileocolectomia direita, com ressecção de 70cm de alça de delgado. Histologia evidenciou processo inflamatório crônico inespecífico com áreas de necrose de coagulação em mucosa ileal, achados que podem corresponder à etiologia actínica. No seguimento, 1 ano após abordagem, paciente permanece assintomática.

Discussão

Enterocolite actínica representa a lesão iatrogênica intestinal por radioterapia, principalmente no tratamento de malignidades abdominais ou pélvicas, quando as alças intestinais estão no campo de radiação. Os fatores de risco incluem: dose cumulativa da radiação, extensão da área irradiada, mobilidade intestinal reduzida, como nos pacientes com antecedente de cirurgias abdominopélvicas, indivíduos magros e sexo feminino.
A lesão intestinal actínica decorre da apoptose das células das criptas e obliteração das arteríolas pelo espessamento da parede intestinal, podendo promover isquemia e até necrose da parede, além de fibrose da submucosa. A manifestação clínica mais comum é o sangramento digestivo e, raramente, suboclusão por estenose.

Comentários finais

Nos pacientes com antecedente de radioterapia e sintomas gastrointestinais, inclusive suboclusão intestinal, deve-se considerar a enterite actínica entre os diagnósticos diferenciais. Os achados nos exames de imagem podem ser inespecíficos, tornando-a um desafio diagnóstico. Nos casos refratários às medidas clínicas, a ressecção cirúrgica do segmento envolvido é uma opção terapêutica.

Palavras-Chave

Enterite actínica, Suboclucão intestinal.

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Débora Cerqueira das Neves de Brito, Cândida Oliveira Alves, Carolina da Silva Beda Sacramento, Jorge Cravalho Guedes, Lívia Dórea Dantas Fernandes, Vanessa Tavares de Freitas, Marina Pamponet Motta, Vanessa Franca Almeida, Bruno Vagner Varjão, Karla Amaral de Gusmão Miranda, Diego Araújo Paternostro