XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Relato de caso: retocolite ulcerativa e mieloma múltiplo

Apresentação do Caso

Paciente masculino, 45 anos, com retocolite ulcerativa extensão pancolite desde 2018, apresentou lombalgia de forte intensidade iniciada há 2 semanas da admissão e 15 evacuações líquidas diárias e com sangue. Tratado anteriormente com mesalazina, infliximabe e azatioprina, depois adalimumabe e estava há 6 meses sem tratamento. Apresentava anemia, PCR aumentado e creatinina de 7,14 mg/dL, sumário de urina com proteinúria de cadeias leves e inventário ósseo com tomografia constatou lesões líticas difusas na calota craniana, mandíbula, esterno, arcos costais, coluna vertebral e osso da bacia. O paciente foi submetido a biópsia de medula óssea que mostrou infiltração por plasmócitos, confirmando o diagnóstico de mieloma múltiplo (MM). Houve piora do quadro diarreico apesar de corticoterapia por cinco dias, sendo indicada colectomia subtotal pela impossibilidade de indução da remissão com ciclosporina ou infliximabe. No sétimo dia de pós-operatório, foi administrada a 1ª dose de quimioterapia para o MM e, atualmente, segue ambulatorialmente.

Discussão

Estados inflamatórios persistentes liberam citocinas (IL6 e TNF alfa) de forma exacerbada, que gera hiperativação dos linfócitos e células plasmáticas, além de produção monoclonal de células plasmáticas, com potencial de evolução para MM. O paciente sempre manteve atividade inflamatória clínica, laboratorial e endoscópica. A IL-6 atua como fator de sobrevivência para as células do MM. O infliximabe é um anticorpo monoclonal quimérico contra o TNF, sendo por vezes associado ao surgimento de malignidades. Bloquear a atividade de TNF pode aumentar a proliferação de neoplasias hematológicas, corroborando a possibilidade entre o infliximabe e o surgimento do MM por diminuição da apoptose das células neoplásicas. O paciente iniciou a manifestação do MM aos 45 anos com anemia, alteração de função renal e dor lombar, além de possuir RCU continuamente exacerbada. Apesar da idade jovem, apresenta escores prognósticos ruins, com elevada beta-2-microglobulina, podendo ser correlacionado à contínua atividade de doença associada ao uso de biológicos anti-TNF alfa por 2 anos.

Comentários finais

A possível associação causal entre a terapia com anti-TNFs e neoplasias sugere benefício em medidas de triagens para o diagnóstico de MM durante o seguimento de pacientes com DII, como avaliação de proteinúria urinária e eletroforese de proteínas séricas. São necessários estudos adicionais para avaliar o benefício destas medidas.

Palavras-Chave

Retocolite ulcerativa. Mieloma múltiplo. Infliximabe. Fator de necrose tumoral.

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Alex Rodrigues Fonseca, Lais Naziozeno Santos, Jessica Bastos Garcia, Marcel Lima Andrade, Thais Viana Tavares Trigo, Marjorie Desiree Medrado Mascarenhas, Talita Ramos de Alencas Silva, Dalyane Cristina Martins Machado, Rafaela Dassoler