XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Fístula perianal por carcinoma espinocelular - uma forma atípica de apresentação

Apresentação do Caso

Masculino, 53 anos, agricultor, raça branca, admitido no hospital para investigação de quadro de diarreia crônica e dor na região perianal, sem muco ou sangue, negando outros sinais de alarme. Apresentava-se com bom estado geral e presença de lesões nódulo vegetantes na região perianal. Dos exames laboratoriais chamavam a atenção leucocitose de 13410 (- Bastões:2%; Segmentados:70%; Eosinófilos:4%) e PCR 17. Demais exames sem alterações.
Durante investigação realizou colonoscopia sem achados endoscópicos ou histopatológicos de malignidade, doença inflamatória intestinal (DII) ou causas infecciosas. A ressonância magnética de pelve evidenciou fístula perianal complexa, com trajetos fistulosos interesfincterianos e abscesso perianal. Submetido então a cirurgia de fistulectomia e exérese de coleções purulentas em região perianal, cujo histopatológico fez o diagnóstico de carcinoma espinocelular moderadamente diferenciado, infiltrando derme profunda, sem invasão perineural ou angiolinfática. Evoluiu clinicamente estável no pós operatório.

Discussão

O carcinoma espinocelular (CEC) de células cutâneas é uma neoplasia decorrente da proliferação maligna dos queratinócitos da epiderme. Seu fator de risco mais importante é a exposição crônica a radiação UV (UVR) na luz solar. Outros fatores de risco que interagem com a exposição à luz UV incluem ter a pele de cor clara, ascendência europeia do norte, idade avançada, tratamento com imunossupressor, exposição a radiação e tabagismo estão associados com um risco aumentado de CEC cutânea.
Embora o prognóstico do CEC cutâneo seja excelente, há certas características clínico-patológicas que estão associadas a doença mais agressiva. Estas características incluem invasão além do tecido subcutâneo, invasão perineural, tamanho do tumor, maior profundidade de invasão, metástase linfonodal, e origem no lábio ou ouvido. Lesões profundas invasivas têm maior risco de recidiva ou metástase, exigindo tratamento com excisão cirúrgica ou radioterapia mais extensa.

Comentários finais

Paciente com CEC cutâneo de localização atípica, região perianal - área não exposta à radiação solar, apenas sendo possível o diagnóstico através de análise histopatológica de peça cirúrgica. Até então os principais diagnósticos diferenciais eram tuberculose extrapulmonar, DII ou qualquer outra neoplasia. Ainda que o CEC em questão tenha se apresentado de forma atípica, e portanto com maior chance de eventos adversos, o mesmo manteve-se limitado à derme, sem ocorrência de metástases.

Palavras-Chave

Carcinoma espinocelular, fístula perianal

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Farisa Cecília Silva Lúcio, Fernando Jorge Firmino Nóbrega, Marcelo Vicente Toledo Araújo, Fernanda Sâmela Silva Lúcio, Rafaella Freitas Amorim Wanderley, Juliana Barbosa Lima