XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Apendicite aguda perfurada tratamento com tiflectomia

Apresentação do Caso

CGLS, 55 anos, feminino, é atendida com sinais sugestivos de síndrome do intestino
irritável, com cólicas, alternância entre períodos de diarreia e constipação, associado a
gases. Ao exame físico, distensão abdominal e dor difusa a palpação. A
ultrassonografia de abdomem total solicitada e não trouxe alterações significativas
para o diagnóstico. Dessa forma, foi solicitada a colonoscopia que apresentou saída
de secreção purulenta pelo óstio do apêndice, foi repetida a ultrassonografia que
identificou sinais de apendicite aguda com presença de coleção purulenta em
cavidade abdominal, sendo encaminhada para cirurgia de urgência. Submetida a
cirurgia laparoscópica de apendicectomia, no intraoperátorio, a cirurgia teve que ser
convertida a cirurgia aberta devido a uma grande área de laceração em região de ceco
pelo processo inflamatório, optando por realizar a tiflectomia.

Discussão

A Apendicite aguda é uma patologia com caráter de urgência que acomete mais de 86
milhões de Brasileiros anualmente, seu diagnóstico é clinico, correlacionado aos
exames complementares, como ultrassonografia, tomografia computadorizada de
abdomem e exames laboratoriais têm uma maior precisão para auxiliar nos
diagnósticos diferenciais e possíveis complicações da patologia. O tratamento pode
ser feito de forma conservador em alguns casos, entretanto, a intervenção mais
utilizada para casos de apendicite aguda é o procedimento cirúrgico, tanto de forma
laparoscópica quanto aberta.Em casos onde o apêndice pode evoluir para o seu
rompimento, tornando-se uma apendicite aguda supurada, o cirurgião deve avaliar e
moldar sua conduta pois pode cursar com um processo inflamatório grave na base do
apêndice e ceco, impossibilitando a visualização das estruturas de forma efetiva e pela
necessidade de evitar possíveis deiscência futuras, opta-se por realizar uma resseção
da parte de junção ileocecal.

Comentários finais

Por fim, conclui-se que a apendicite aguda é uma doença que cerca de 20-30%
pacientes não apresentam uma sintomatologia clássica, com isso, leva um
diagnóstico tardio mesmo com exames de imagens, que muitas vezes não são
capazes de evidenciar o acometimento do órgão, podendo causar complicações na
cavidade abdominal,a tiflectomia é indicado em casos de apendicite aguda complicada
quando há acometimento do ceco, no qual, com sua abordagem efetiva consegue
reduzir consideravelmente a morbimortalidade dos pacientes, sendo indicado sua
abordagem em casos específicos em que acometimento em região cecal.

Palavras-Chave

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Helen Brambila Jorge Pareja, Pedro Augusto de Assis Goes, Eraldo de Azevedo Coelho Junior, Thiago Lucas, Fernando Torres Bermudes, Leonardo Vitor Pereira Dias, Rafaela Parizoto Fabrin, Lorena Lex da Motta, Anna Paula Xavier Nóia, Isabela Reginato Cunha, Maria Eduarda Shono Maehara, Mila Maria Pontelli de Souza Hauy