XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

EVOLUÇÃO DA TAXA DE MORTALIDADE POR NEOPLASIA MALIGNA PANCREÁTICA NA ÚLTIMA DÉCADA NO BRASIL.

Introdução

O câncer de pâncreas é uma das neoplasias de mais difícil diagnóstico, além de apresentar comportamento extremamente agressivo, com prognósticos não favoráveis aos pacientes. Devido a essas características, a neoplasia maligna de pâncreas apresenta elevada taxa de mortalidade, sendo responsável por cerca de 2% dos casos de câncer no país e 4% dos casos de morte.

Objetivo

Realizar estudo epidemiológico da taxa de mortalidade por neoplasia maligna pancreática no Brasil na última década.

Método

Trata-se de um estudo transversal quantitativo, com amostra de 93.174 indivíduos internados por neoplasia maligna de pâncreas (2011-2020) notificadas por meio do Sistema de Declaração de Morbidade Hospitalar do SUS do DATASUS. Avaliaram-se as variáveis por local de residência, taxa de mortalidade, sexo e faixa etária.

Resultados

A mortalidade geral foi de 25,37% (25,63% homens e 25,1% mulheres). A faixa etária acima de 80 anos mostrou maior taxa (41,7%), sendo a abaixo de 19 anos a menor (6,11%). No período estudado, houve redução, indo de 28,8% em 2011 para 22% em 2020. A região norte apresentou a maior taxa (28,7%), seguida da sudeste (25,91%), centro-oeste (24,87%), sul (24,85%) e nordeste (24,03%).

Conclusão

Perante o exposto, este estudo verificou taxa semelhante entre os sexos, com ligeiro predomínio masculino, além da faixa etária acima de 80 anos apresentar a maior porcentagem, e a abaixo de 19 anos, a menor. É necessário destacar que o câncer pancreático apresentou, no Brasil, na última década, um padrão de distribuição que evidencia tendência de diminuição da taxa de modo geral, reduzindo 6,8%. Tal dado sugere que a incorporação de políticas públicas de saúde ao acesso precoce aos meios de diagnósticos e de tratamento são determinantes na redução da mortalidade. Ademais, intervenções voltadas à prevenção primária é imprescindível para que haja redução das taxas de incidência e, consequentemente, de mortalidade.

Palavras-Chave

Neoplasias Pancreáticas; Mortalidade.

Área

Gastroenterologia - Pâncreas e Vias Biliares

Autores

Enzo Studart de Lucena FEITOSA, BARBARA MATOS DE CARVALHO BORGES, DANIEL KEVIN DE ALENCAR FORTE FEIJÓ, GEORGE CAJAZEIRAS SILVEIRA FILHO, BARBARA BEZERRA RICCIARDI, VITTORIO SANTOS TOMAZ, GUSTAVO NEVES PINTO, MARIA STELLA VASCONCELOS SALES VALENTE, JOÃO PEDRO ANDRADE AUGUSTO, FABIO AUGUSTO XEREZ MOTA, ARTHUR ANTUNES COIMBRA PINHEIRO PACÍFICO, VITOR SAUWEN PAIVA, IANA VITORIA ARAUJO MARQUES, PEDRO AMORIM VIDAL, FRANCISCO JULIMAR CORREIA MENEZES