XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Doença de Crohn avançada de difícil manejo: evolução com neoplasia em paciente de 25 anos

Apresentação do Caso

Paciente feminino, 25 anos, com quadro de diarreia desde os 2 anos de idade, e diagnóstico de Doença de Crohn (DC). Realizou múltiplos tratamentos, incluindo biológicos, porém evoluiu com piora progressiva de diarreia, associando-se a náuseas e vômitos. Apresentava desnutrição e estenose de reto palpável a 4-6cm da borda anal (BA). Exames de imagem de abdome revelavam estenose em íleo distal (válvula ileocecal) e em reto, não sendo possível afastar neoplasia. A retossigmoidoscopia revelou a lesão vegetante estenosante a 6cm da BA, cuja biópsia demonstrou adenoma tubular com displasia de alto grau. Após 20 dias de internamento, desmame de corticoide (usuária crônica) e otimização de status nutricional, realizada proctocolectomia total com linfadenectomia retroperitoneal e ileostomia terminal. A biópsia de peça cirúrgica revelou adenocarcinoma de baixo grau com invasão perineural, sem metástase linfonodal. Neste interim, apresentou múltiplas pioras infecciosas, e complicação pós-operatória com coleção abdominal. Evoluiu com melhora infecciosa progressiva, recebendo alta médica para seguimento com oncologista (avaliação de quimioterapia) e gastroenterologista com proposta de uso de Ustequinumabe.

Discussão

A frequência de câncer colorretal é mais alta em pacientes com DII, incluindo a DC, principalmente em doença avançada, de longa data e mal controlada, devido à inflamação intestinal crônica e persistente. O risco adicional para câncer colorretal em pacientes com DC é estimado em 1,9 vezes. A proctocolectomia total está indicada em pacientes com colite de Crohn refratária, em casos de displasia multifocal ou não passível de ressecção endoscópica, e em casos de neoplasia confirmada. A ostomia é sempre a preferência em casos de desnutrição, tabagismo e quando o corticoide não puder ser desmamado até a cirurgia. O uso prolongado de corticoide, associa-se a maior risco pós-operatório de complicações infecciosas, e a desnutrição associa-se a maior taxa de complicações pós-operatórias, assim como o suporte nutricional pré-operatório associa-se a melhores desfechos.

Comentários finais

A doença de Crohn é uma doença muito complexa, por vezes de difícil diagnóstico, difícil manejo e com complicações severas. O sucesso para o tratamento da DC baseia-se na abordagem interdisciplinar por equipe bem treinada no manejo particular desse perfil de pacientes.

Palavras-Chave

Doença de Crohn, Câncer Colorretal, Desnutrição.

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Jaciane Araujo Mota Fontes, Ylanna Fortes Fonseca, Erodilho Sande Mota, Carlos Augusto Boscolo, André Castro Lyra, Sandra Sousa Santos de Figueiredo, Lourianne Nascimento Cavalcante, Rosicreusa Marback de Souza, Daniele de Carvalho Cerqueira, Laíza Lobão Alves, Rebeca Novaes Gonçalves