XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

TUMOR ESTROMAL GASTROINTESTINAL (GIST) EM PACIENTE COM DOENÇA DE CROHN: RELATO DE CASO

Apresentação do Caso

Paciente do sexo feminino, 62 anos, com diagnóstico de doença de Crohn com topografia de intestino delgado e íleo terminal desde 2015, em terapia inicial com azatioprina na dose de 2,5 mg/kg e posteriormente, pelo controle clínico, laboratorial e endoscópico da doença, optado por dose de manutenção de 50 mg/dia. Durante o acompanhamento ambulatorial, foi solicitada enterotomografia de controle em março de 2021, que descreveu uma massa sólida em fossa ilíaca direita medindo 8,6 x 7,1 cm, com tênues calcificações de permeio, com realce heterogêneo ao meio de contraste, áreas de necrose central, em íntimo contato com alças do intestino delgado, porém, sem obstrução intestinal e marcador CA-125 9,20 U/mL. Optada pela abordagem cirúrgica para elucidação do quadro, que revelou massa exofítica, vascularizada, sem sinais de invasão a outros órgãos e de provável origem em alça jejunal, sendo realizada enterectomia com anastomose. O histopatológico confirmou o diagnóstico de tumor estromal gastrointestinal (GIST) com áreas de necrose e imunohistoquímica com CD117, clone MIB-1 e DOG1 positivos. A paciente mantém seguimento ambulatorial, assintomática e em remissão da doença.

Discussão

GIST é uma neoplasia rara do trato digestivo, que ocorre principalmente em pacientes com mais de 60 anos e com localização, em 60% dos casos, no estômago e, em 30-40% no intestino delgado, preferencialmente em jejuno e íleo. O tumor pode ser assintomático ou variar para manifestações inespecíficas, que incluem sintomas dispépticos como dor abdominal e empachamento pós-prandial. Condições inflamatórias do aparelho digestivo, como a doença de Crohn (DC), associado ao uso de drogas imunossupressoras, como azatioprina, podem representar um fator de risco adicional para o aparecimento de GIST. Além disso, a expressão de um receptor comum (peptídeo semelhante ao glucagon) entre ambas as condições aumenta as chances de aparecimento da neoplasia nos pacientes com DC.

Comentários finais

A DC representa um fator de risco para o aparecimento de tumores do TGI como, por exemplo, o GIST, que apesar de raro, deve ser considerado. Quando diagnosticado precocemente e abordado cirurgicamente, o prognóstico pode ser favorável.

Palavras-Chave

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Bruna Devens Conte, João Eugênio Loureiro Lopes, Ana Elisa Altoé, Ana Paula Hamer Sousa Clara, Felipe Bertollo Ferreira, Felipe Welling Lorentz, Fabiano Quarto Martins, Lívia Zardo Trindade, Mariana Poltronieri Pacheco, Fernando Henrique Rabelo Abreu dos Santos