XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

UM RELATO DE ILEÍTE ESTENOSANTE: TUBERCULOSE INTESTINAL OU DOENÇA DE CROHN?

Apresentação do Caso

Paciente do sexo masculino, 47 anos, tabagista, previamente hígido, relatou distensão abdominal há 1 semana, associada a calafrios, dor abdominal e vômitos. Referiu episódios esparsos de diarreia após a ingestão de gordura. Foi internado com alta após 4 dias com prescrição de ciprofloxacino, metronidazol e prednisona por 5 dias, evoluindo com melhora do quadro. Possui um irmão com doença de Crohn (DC) e história de tuberculose latente tratada (ILTB). Realizou TC de abdome, evidenciando espessamento em íleo terminal, além de colonoscopia, que mostrou aspecto fibroestenosante ao nível da válvula ileocecal, e edema e hiperemia na entrada do íleo, com áreas de exsudato e estenose. RNM do abdome demonstrou espessamento parietal concêntrico de alças ileais mediodistais, com aumento do número de linfonodos ileocólicos, mas com dimensões preservadas. Seguiu-se com investigação para Tuberculose Intestinal (TBI), obtendo QuantiFERON-TB positivo e PPD não reagente. O estudo anatomopatológico acusou ileíte crônica erosiva sem presença de granulomas e pesquisa de BAAR negativa. Aguarda-se o resultado da cultura e do PCR.

Discussão

A TBI e a DC são doenças que podem ter apresentações clínicas parecidas, com alta prevalência de acometimento ileocecal e predomínio de inflamação granulomatosa. Muitas vezes estas doenças se confundem, reservando a definição diagnóstica a poucos recursos complementares. O aspecto endoscópico pode ajudar no grau de suspeição, porém não define o diagnóstico. A presença de necrose central no linfonodo vista nos métodos de imagem e a inflamação granulomatosa com presença ou não de necrose na biopsia ajudam, porém nem sempre estão presentes. Assim, diante da similaridade das manifestações clínicas, o diagnóstico diferencial é importante para direcionar ou não os pacientes à terapia imunossupressora, já que seu uso inadequado pode acarretar graves complicações.

Comentários finais

Trata-se de um paciente com quadro sugestivo de DC, não sendo possível afastar TBI, tendo em vista o histórico familiar do irmão e a procedência de região endêmica. A colonoscopia foi sugestiva de DC em atividade, assim como a biópsia. O QuantiFERON-TB positivo indicava a suspeita de TB, mas o resultado positivo isolado não permite o diagnóstico de TBI, tornando o diagnóstico definitivo um desafio. Estudos com novos métodos de biologia molecular e avaliação de testes diagnósticos são necessários na busca de ferramentas que ajudem no cenário.

Palavras-Chave

Doença de Crohn. Tuberculose. Diagnóstico Diferencial.

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Flora Lorenzo Fortes, Catarina Gomes Menezes, Davi de Freitas Cézar, Denise Gomes Vieira, Erick Santos Nery, Lucas Araújo Gomes, Pedro Barbosa de Sá, Genoile Oliveira Santana