XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Lesão de Dieulafoy em uma localização atípica: um desafio diagnóstico

Apresentação do Caso

Paciente masculino, 65 anos, ex etilista, hipertenso e diabético, fez colectomia parcial em 2007 por neoplasia de cólon. Apresentou em 2014 quadro de enterorragia e foi submetido a colectomia total com ileostomia. Em Outubro de 2020, durante investigação de quadro de desorientação, realizou endoscopia digestiva alta que evidenciou varizes esofágicas de fino calibre que foram submetidas a ligaduras elásticas. Em Janeiro de 2021 apresentou sangramento importante por ileostomia, ficando internado em hospital privado de Fortaleza de 01/01/21 a 19/03/21, período no qual realizou exames radiológicos e endoscópicos sem elucidação diagnóstica, porém teve achados de ascite, esplenomegalia e trombose crônica de veia porta. Em 28/03/21, após novo sangramento maciço, foi internado em choque hipovolêmico em hospital público de Fortaleza. Ao longo da internação apresentou repetidos episódios de enterorragias sem identificação da origem do sangramento. Em 14/04/21, durante abordagem endoscópica de novo evento, foi vista na borda externa da ileostomia alteração sugestiva de lesão de Dieulafoy e realizada rafia manual. Evoluiu estável, recebendo alta em 11/05/21 com diagnósticos de hemorragia digestiva por lesão de Dieulafoy e cirrose hepática de etiologias alcoólica e metabólica Child B7 e Meld sódio 12.

Discussão

A lesão de Dieulafoy é causa rara de sangramento gastrointestinal agudo, correspondendo a 5% destes casos. Possui grande relevância, pois pode ser responsável por sangramentos maciços e de repetição. Dieulafoy é congênita e consiste numa arteríola com dilatação anômala de até 3 mm na submucosa. É mais frequente após os 60 anos e em homens em proporção 2:1. 90% dos casos possuem alguma comorbidade, como doenças cardiovasculares, insuficiência renal, hipertensão, diabetes e etilismo. O estômago é o local de apresentação em mais de 70% dos casos, mas também pode se localizar no esôfago, delgado, cólon e até mesmo nos brônquios. O tratamento endoscópico é o método de escolha. Nos casos de falha endoscópica, a angiografia pode ser utilizada e quando há falha de ambas, a cirurgia é indicada.

Comentários finais

A lesão de Dieulafoy é um desafio diagnóstico e terapêutico, devendo ser suspeitada nos casos de hemorragias gastrointestinais obscuras e recorrentes. O caso relatado tem relevância por se tratar de uma causa rara de hemorragia digestiva com localização incomum em um paciente com várias comorbidades e outros fatores confundidores da fonte do sangramento.

Palavras-Chave

Dieulafoy; hemorragia digestiva; sangramento obscuro; sangramento recorrente

Área

Gastroenterologia - Miscelânea

Autores

Vanessa Marques de Souza, Priscilla Luna da Silva, Pamela de Alencar Fortaleza Sousa, João Lucas de Oliveira Simões , Victor Queiroz Gurgel, Francisco Sérgio Rangel de Paula Pessoa, Andrea Benevides Leite, Mariana Rolim Fernandes Macedo, Tarson Maia Furtado de Aquino, Rafaelle Marques Cavalcante, Silvia Romero Pinheiro, Ticiana Maria de Lavor Rolim, Andrezza Menezes Queiroga, Amanda Cristina Crispim Farias