XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Lesão hepática induzida por droga mimetizando hepatite autoimune: relato de caso

Apresentação do Caso

Mulher, 36 anos, com história prévia de pre-eclâmpsia e tratamento com metildopa. Após 2 meses do parto apresentou náuseas, dor em hipocôndrio direito e icterícia. Procurou pronto atendimento e exames laboratoriais evidenciaram hepatite aguda mista, sendo encaminhada para propedêutica na Santa Casa de Belo Horizonte. Negou uso de outros medicamentos, chás ou fitoterápicos. Optado por suspensão da droga. Sorologias virais e pesquisa de doenças metabólicas, todas negativas. Apresentou alteração FAN (1:160) padrão misto e pANCA (1:80). Ultrassonografia de abdome com fígado sem alterações, vesícula biliar sem cálculos e sem dilatação de vias biliares. Dopplerfluxometria de vasos hepáticos normal. Apesar da melhora clínica e laboratorial progressiva com suspensão da droga, realizamos biópsia hepática devido as alterações descritas e possibilidade de diagnóstico de hepatite autoimune. Evidenciado necrose em saca-bocados, infiltrado inflamatório mononuclear e formação de rosetas - Classificação de Metavir: A3F0. De acordo com score diganóstico, apresentava diagnóstico provável (14 pontos) de hepatite autoimune. Não iniciamos tratamento devido evolução com melhora significativa das enzimas hepáticas e icterícia, sendo optado por alta hospitalar e acompanhamento regular. Já na primeira consulta de retorno, apresentou perfil hepático normal. Após 01 ano da admissão hospitalar, mantém laboratório sem alterações e sem recorrência do quadro clínico.

Discussão

Na lesão hepática induzida por drogas com características de hepatite autoimune, os pacientes podem apresentar sintomas de desconforto abdominal no quadrante superior direito, hiporexia, náuseas e icterícia, com achados laboratoriais de autoimunidade. A biópsia hepática durante a fase aguda da lesão, tipicamente mostra inflamação lobular e portal marcada com hepatite de interface. Dentre as drogas já relacionadas a este quadro, encontra-se a metildopa. O curso típico é para melhoria após retirada do agente causador. A presença de características autoimune e a gravidade da lesão muitas vezes leva ao uso de corticosteroides ou supressão imunológica para tratamento.

Comentários finais

Este tipo de lesão hepática é um evento raro, com crescente corpo de evidências científicas e um razoável grau de incerteza. Sendo necessário a descrição e relato deste caso para conhecimento da comunidade científica e qualidade de assistência médica na abordagem dos pacientes.

Palavras-Chave

lesão hepática, hepatite autoimune, metildopa, hepatotoxicidade

Área

Gastroenterologia - Fígado

Autores

Maressa Sales Valentim, Flávia Lage Gonçalves, Thaís Figueiredo Araújo, Victor Gaudêncio Santos Caminhas, Elisa Botelho Calili, Ana Flávia Passos Ramos