XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Doença inflamatória intestinal (DII) x Parkinsonismo: relato de caso

Apresentação do Caso

Adulto, 37 anos, internado em hospital da cidade de João Pessoa devido parada cardiorrespiratória, por quadro de choque séptico, de etiologia gastrointestinal. Permaneceu intubado por cerca de 02 semanas, com estabilização clinica seguida de alta da UTI. Como antecedentes, apresentava diagnóstico recente de parkinsonismo. Evoluiu com quadro de diarreia importante, cerca de 10 evacuações por dia, em pequena quantidade, sem muco ou pus, com presença eventual de sangue. Consideradas as hipóteses de colite pseudomembranosa, isquêmica e infecciosas, que foram refutadas pela investigação complementar. O primeiro exame evidenciou pancolite ulcerativa com biópsias sugerindo colite crônica. Foi iniciado mesalazina 2g/dia, com melhora do quadro. Após cerca de 01 mês, ainda internado, paciente evoluiu com quadro de hematoquezia importante, tendo sido submetido a colonoscopia que evidenciou estenose a cerca de 50cm da borda anal, com histologia novamente negativa. O paciente foi submetido à retossigmoidectomia com macroscopia mostrando colite crônica e histologia com presença de microabscessos de criptas, corroborando com quadro de retocolite. Foi iniciado azatioprina 5mg/kg/dia e prednisona 60mg/dia com desmame progressivo, além de otimização de drogas dopaminérgicas, incluindo levodopa. Um ano depois, paciente fez reconstrução de cólon, evidenciando-se melhora progressiva do déficit neurológico, com acompanhamento regular no ambulatório de distúrbios do movimento, tendo sido considerado por avaliação multidisciplinar como caso típico de DII associada ao neuroeixo.

Discussão

Os avanços da ciência afirmam uma possível relação entre os microorganismos que vivem no sistema digestivo e o mal de Parkinson. Uma das apostas é que a microbiota intestinal aumenta a produção de alfa-sinucleína no cérebro
Um estudo comparativo dinamarquês revelou um aumento de 22% no risco de Parkinson nos pacientes com DII, em comparação com indivíduos sem doença, não havendo constatação de influencia pelo sexo, idade do diagnóstico de DII ou período de acompanhamento. Evidenciou-se um risco ligeiramente maior de indivíduos com colite ulcerosa em relação aos que tinham doença de Crohn.

Comentários finais

O caso em questão corrobora com os estudos que associam o eixo doença intestinal promovendo maior risco para doença mental, entretanto não podemos deixar de enfatizar que a atividade cerebral também influencia a composição e o equilíbrio da microbiota intestinal, sendo assim um desafio diagnóstico e terapêutico.

Palavras-Chave

retocolite; crohn; parkinsonismo; microbiota

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

KEILHA DA SILVA ANDRADE, JEFFERSON QUEIROZ CARNEIRO, Geronimo Franco de Almeida, Emanuelle Gomes Reis Galvão, Ligia Almeida Carlos Diniz, Simone Fernandes Trajano Furtado, Marcelo Gonçalves Sousa, Antônio Carlos Coelho Conrado, Alex Tiburtino Meira, Alexandre Augusto Ramalho Araruna, Tiago Lima de Luna Freire, Paulo Duques de Amorim, Luis Paulo Reis Galvão, Aline Campos Britto