XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Diagnóstico Diferencial de Doença de Crohn: Relato de Caso

Apresentação do Caso

Paciente do sexo feminino, 69 anos, queixando cólica abdominal difusa, aumento da flatulência e emagrecimento há 6 meses. Diagnosticada inicialmente com Doença de Crohn, através de tomografia abdominal com ileíte terminal, e colonoscopia com ulcerações em ceco e íleo terminal, associada à histologia compatível com tal diagnóstico. Iniciou uso de azatioprina e prednisona, evoluindo após 1 mês com quadro febril diário, sem melhora após uso de ciprofloxacino por 14 dias e suspensão da azatioprina. No 21º dia do quadro febril, foi internada para extensão propedêutica. Submetida a exames laboratoriais, com elevação de proteína C reativa, anemia leve e beta-2-microglobulina discretamente elevada, além de enterografia por tomografia com sinais de ileíte. Foi diagnosticada com COVID-19, através de tomografia de tórax com opacidades em vidro-fosco e posterior RT-PCR positivo. Recebeu ceftriaxone e azitromicina, apesar de ausência de sintomas respiratórios, permanecendo com febre. No 34º dia do quadro febril foi submetida a nova colonoscopia, com biópsias, que evidenciou erosões em cólon direito, válvula íleo-cecal e íleo terminal, sugestivas de Doença de Crohn, porém, histologia concluiu diagnóstico de Tuberculose Intestinal através de pesquisa de bacilo álcool-ácido-resistente positiva. Iniciado tratamento com rifampicina, isoniazida, pirazinamida e etambutol, evoluindo com melhora clínica. Ao término do tratamento a paciente realizou nova colonoscopia com melhora das lesões, evidenciando apenas alterações mucosas de aspecto cicatricial em ceco e válvula-íleo cecal.

Discussão

Distinguir Doença de Crohn de Tuberculose Intestinal configura um desafio na prática clínica, pois ambas podem apresentar características clínicas, radiológicas, endoscópicas e histológicas semelhantes. Diante disso, no caso apresentado, tais características não foram suficientes para aumentar a suspeição de uma doença ou de outra, tendo sido a infecção concomitante por COVID-19 mais um fator de confusão. O diagnóstico de Tuberculose Intestinal foi concluído através da positividade da pesquisa de bacilo álcool-ácido-resistente nas biópsias da segunda colonoscopia, e confirmado posteriormente, após resposta satisfatória com tratamento instituído.

Comentários finais

Esse caso mostra o quão difícil pode ser a diferenciação entre Doença de Crohn e Tuberculose Intestinal, levando a definições diagnósticas e terapêuticas tardias e por vezes erradas, com aumento do risco de repercussões negativas na evolução destas doenças.

Palavras-Chave

Doença de Crohn. Doença inflamatória intestinal. Tuberculose intestinal. Diagnóstico Diferencial.

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Camila Guimarães Ribeiro de Moraes, Carolina de Paula Guimarães Baía, Luana Antunes Silqueira Neves, Sarah Teixeira Dantas, Régis Suwa Marques, Elisa Maria Reis dos Santos, Bruna Pereira França