XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANÁLISE COMPARATIVA DO PERFIL CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO ENTRE OS PORTADORES DE DOENÇA DE CROHN E RETOCOLITE ULCERATIVA EM TRATAMENTO FARMACOLÓGICO DE UM HOSPITAL TERCIÁRIO DE FORTALEZA - CE.

Introdução

A doença inflamatória intestinal (DII) representa um grupo de afecções intestinais inflamatórias crônicas idiopáticas. As duas principais categorias de doenças são a doença de Crohn (DC) e a retocolite ulcerativa (RCU).

Objetivo

Descrever e comparar o perfil clínico-epidemiológico dos pacientes com doença de Crohn e retocolite ulcerativa acompanhados no serviço de Gastroenterologia do Hospital Geral de Fortaleza - Ceará.

Método

Avaliados 192 pacientes acompanhados no serviço de Gastroenterologia do Hospital Geral de Fortaleza (HGF). Dados obtidos mediante utilização de questionário preenchido pelo autor da pesquisa a partir da revisão de prontuários e/ou da entrevista do paciente em consultas ambulatoriais no HGF de julho a dezembro de 2020.

Resultados

O estudo apresentou 117 pacientes com RCU e 75 com DC. Entre os portadores de RCU, 70 (63,5%) eram mulheres e 37 (36,5%) eram homens; dos portadores de DC, 45 (53%) eram mulheres e 40 (47%) eram homens.(p=0,1028)
A média de idade dos pacientes com RCU foi de 52,9 anos, DC 45,5 anos. (p=0,0007); 52 (26,2%) tinham histórico de tabagismo. Dos pacientes com DC, eram 16 (8,0%) e com RCU, eram 34 (17,2%). (p=0,0479).
A média de tempo em anos dos sintomas ao diagnóstico entre os pacientes com DC foi de 2,53 anos e RCU foi de 1,84 ano. (p=0,2615). Entre os pacientes com RCU, a média de tempo de doença foi de 11,1 anos e DC de 11,3 anos. (p=0,8664).
Do total de pacientes com DII, 22 (11,1%) desenvolveram pelo menos uma manifestação extraintestinal (MEI). 11 (5,5%) eram portadores de RCU e 13 (6,5%) de DC. (p=0,3803). Entre os pacientes com DC, 32 (16,1%) em uso de adalimumabe, 23 (11,6%) em uso de infliximabe, 12 (6%), 2 (1,0%) em uso de vedolizumabe e 1 (0,5%) em uso de ustequinumabe. Dos pacientes com RCU, 12 (6%) em uso de infliximabe, 7 (3,5%) em uso de adalimumabe, 1 (0,5%) em uso de vedolizumabe. (p< 0,01). Entre os pacientes com DC, a média de internações por paciente foi de 1,59 entre os pacientes com RCU foi de 0,60.(p< 0,01). Dos pacientes com DC, 40 (20,2%) foram operados e, dentre os pacientes com RCU, 6 (3%) foram submetidos a procedimento(s) cirúrgico(s).(p< 0,01)

Conclusão

A maioria dos pacientes avaliados era portadores de RCU. Histórico de tabagismo foi mais prevalente entre pacientes com RCU. Uso de biológicos foi mais frequente em portadores de DC, que também apresentaram maior incidência de MEI e tempo médio maior para o diagnóstico. A média de internações e de cirurgias foi maior no grupo DC.

Palavras-Chave

doença inflamatória intestinal, doença de Crohn, retocolite ulcerativa

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

RHAMON BARROSO SOUSA, SILVIA ROMERO PINHEIRO, ANDREA BENEVIDES LEITE, FRANCISCO SÉRGIO RANGEL DE PAULA PESSOA, MARIANA ROLIM FERNANDES MACEDO, GARDÊNIA COSTA CARMO, TICIANA MARIA LAVOR ROLIM