XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE EPIDEMIOLÓGICA DA ÚLCERA PÉPTICA EM HOSPITAL GERAL

Introdução

A úlcera péptica ainda tem importante repercussão, em especial quanto a morbidade e custos ao sistema de saúde. A incidência da doença ulcerosa não complicada é de 1:1000 pessoas/ano e a ocorrência concomitante de Helicobacter pylori (Hp) pode modificar estes índices, sendo de 4,1% a ocorrência de ulcera péptica em pessoas sintomáticas.

Objetivo

Avaliar a prevalência de úlcera gástrica (UG) e duodenal (UD) em serviço de endoscopia de hospital terciário e sua correlação com a pesquisa e incidência de Hp.

Método

Estudo retrospectivo, descritivo de análise de exames endoscópicos realizados em serviço de endoscopia de hospital geral. Amostra definida por conveniência, composta por exames aleatoriamente selecionados, realizados no ano de 2019 em pacientes internados e ambulatoriais (CEP - CAAE 39743020.3.0000.5378).

Resultados

Foram analisados 1337 exames de 1261 pacientes, com distribuição etária de 1 a 93 anos (média 53 anos), a maioria do sexo feminino (770 pessoas – 61,06%). Foram diagnosticadas 105 úlceras, sendo UG (51 pacientes – 4,04%) e UD (54 pacientes – 4,28%), com predominância do sexo masculino. A principal indicação do exame foi epigastralgia e suspeita de doença ulcerosa (14,28% cada situação). A pesquisa de Hp foi feita em 57,14% dos pacientes (não realizadas em vigências de hemorragia digestiva – 37,14%, suspeita de câncer gástrico – 1,90%, hepatopatia crônica, passagem de sonda nasoenteral – 0,95% cada e em 2,85% a investigação de Hp foi inconclusiva). A pesquisa de Hp foi feita em 27 casos com UG e 32 com UD, positiva para 51,85% das UG e 50,0% das UD. Os pacientes Hp positivos apresentaram distribuição etária de 35 a 86 anos (média de 60) com predomínio masculino (62%) e os Hp negativo foram semelhantes (36 a 86 anos e média de 65), a maioria do sexo feminino (62,06%). De acordo com a classificação de Sakita demonstrou-se que nas UG Hp positivas a fase de cicatrização predomina, nas UD prevalece as cicatrizadas. Já quando Hp negativo as UG tiveram predominância de fase cicatricial, em contraste as UD Hp negativas quase na totalidade apresentaram-se cicatrizadas.

Conclusão

O perfil populacional ainda apresenta considerável positividade de Hp mesmo em faixa etária avançada, propiciando ocorrência de UG e UD. Considerando o comportamento das UG e UD em relação a atividade da doença e positividade da bactéria, indica-se que a pesquisa de Hp deve ser rotina para permitir adequada abordagem da doença ulcerosa evitando complicações.

Palavras-Chave

Ulcera Péptica, Úlcera Gástrica, Úlcera Duodenal, Endoscopia Digestiva Alta

Área

Gastroenterologia - Estômago/Duodeno

Autores

Victoria Telles Vieira Celia, Leticia Machado Baptistella, Thales Marques Corrêa, Norberto Katsumi Osaki, João Luiz Brisotti