XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

RELATO DE CASO DE TUMOR NEUROENDÓCRINO TIPO PEQUENAS CÉLULAS, UMA RARA NEOPLASIA ESOFÁGICA

Apresentação do Caso

Paciente masculino, 46 anos, etilista, ex-tabagista, e com história de hipertensão arterial sistêmica e psoríase. Interna para investigação, devido a história de dor cervical há um mês, evoluindo com surgimento de linfadenopatia cervical a esquerda e disfagia para sólidos nos últimos dias, relatava emagrecimento de 5 kg no período. Tomografias demonstraram lesão expansiva no mediastino superior em continuidade com o esôfago, medindo 8,5 x 4,9 x 4,2 cm, associada a disseminação linfonodal em cadeias cervicais e mediastinais. Realizada biópsia da massa cervical, a qual demonstrou neoplasia maligna indiferenciada com imunohistoquímica sugestiva de carcinoma neuroendócrino tipo pequenas células. Procedido investigação com endoscopia digestiva alta, onde foi visualizada lesão neoplásica em esôfago proximal, estendendo-se por 7 cm, ainda transponível ao endoscópio. Biópsias e imunohistoquímica da lesão confirmaram o diagnóstico de carcinoma neuroendócrino pouco diferenciado, tipo pequenas células, com índice proliferativo de 95%. Neoplasia foi avaliada como estágio IV, não passível de tratamento cirúrgico. Paciente segue em tratamento com quimioterapia, apresentando boa resposta até o momento.

Discussão

O tumor neuroendócrino de esôfago é um tipo raro de tumor, correspondendo entre 0,4 e 2% das neoplasias malignas esofágicas, predominante no sexo masculino, a partir da sexta década de vida. Os fatores de risco para este tipo de tumor são o tabagismo, etilistmo e esôfago de Barrett e são mais comumente encontradas no esôfago médio e distal. É um tumor altamente agressivo e frequentemente diagnosticado em estágio metastático, quando já não apresenta possibilidade de tratamento cirúrgico, no entanto são tumores altamente quimiossensíveis.

Comentários finais

No caso apresentando, demonstrou-se um paciente com um tipo raro de tumor esofágico, com uma apresentação inicial com sintomas de metástases linfonodais, evoluindo para sintomas esofágicos, já ao diagnóstico sem possibilidade cirúrgica, mas apresentando boa resposta a quimioterapia assim como característico deste tipo de lesão.

Palavras-Chave

Neoplasia, Neuroendócrino, Esôfago

Área

Gastroenterologia - Esôfago

Autores

André Luiz Bassani, Vinicius Eduardo Nascimento de Lemos Campos, Alexandre Luis Klamt, Helenice Pankowski Breyer, Ismael Maguilnik