XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PERFIL DE INTERNAÇÕES POR DOENÇAS INFLAMATÓRIAS INTESTINAIS NO BRASIL EM UMA DÉCADA (2010 A 2020)

Introdução

Doença Inflamatória Intestinal (DII) é o termo utilizado para se referir às patologias crônicas que ocasionam a ativação imunológica inadequada das mucosas do TGI, situação que leva à sua inflamação. A Retocolite Ulcerativa (RU) e a Doença de Crohn (DC) são os principais representantes desses distúrbios. A RU se trata de uma condição inflamatória restrita ao cólon e ao reto e que acomete apenas mucosa e submucosa, enquanto a DC pode comprometer qualquer porção do trato digestivo e apresenta acometimento transmural. As manifestações clínicas são variáveis, maifestando desde hematoquezia até sintomas extraintestinais.

Objetivo

Retratar o perfil epidemiológico das DII pelas regiões brasileiras durante o período de 2010 a 2020.

Método

Trata-se de um estudo descritivo, com abordagem quantitativa, transversal e retrospectiva. Foram analisados dados de domínios públicos do SIH/SUS (Sistema de Informações Hospitalares do SUS), com enfoque nas variáveis: número total de internações por DII, idade, sexo, óbitos, média de permanência hospitalar e caráter de atendimento, no período de 2010 a 2020. Foram incluídos casos notificados em todos as Regiões do Brasil, os quais foram organizados e tabulados no programa Microsoft Office Excel 2016, mediante estatística descritiva.

Resultados

Entre os 47.399 casos de internações por DII, 8,5% ocorreram no ano de 2020. A região Sudeste destaca-se com maior número de casos (45,47%;21.555), seguida pela região Sul (20,31%;9.630) e Nordeste (19,8%;9.401). Observou-se que 53,52% ocorreram no sexo feminino e 46,47% no sexo masculino. A faixa etária com maior índice foi de 30 a 39 anos (15,39%;7.346), tendo destaque também pessoas de 40 a 49 anos (14,81%;7.023). O número de evoluções a óbito foi de 1.196, sendo que o Sudeste foi responsável pelo maior índice (44,98%;538) e o Nordeste por 262 (21,97%) casos. Quanto ao caráter de atendimento, 79,18% foram de urgência e 20,81% eletivos, ocorrendo, predominantemente na região Sudeste.

Conclusão

Constata-se que as doenças inflamatórias intestinais são mais prevalentes na região Sudeste, adultos jovens (30 a 39 anos) e mulheres. O tipo de atendimento predominante foi do tipo de urgência e a evolução com maiores índices de óbitos foram no Sudeste. Tais doenças ainda representam custos relevantes para o SUS e representam significativa morbidade. Ainda são necessários mais estudos sobre tais doenças no país visando gerar medidas de prevenção e tratamento eficazes para os acometidos.

Palavras-Chave

Doença de Crohn; Retocolite Ulcerativa; Gastroenterologia

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Matheus da Silveira Maia MAIA, Solange Lima Gomes GOMES, Caio Vitor de Miranda Pantoja PANTOJA, João Paulo Mota Lima LIMA, Wellyngton Castro de Sousa SOUSA, Thiago Henrique de Aguiar Sousa SOUSA