XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Avaliação da qualidade de vida e da presença e gravidade da fadiga crônica em pacientes portadores da hepatite C crônica

Introdução

Fadiga crônica tem sido relatada por portadores da hepatite C crônica em diversos estudos, porém é negligenciada na prática clínica.

Objetivo

Avaliar a gravidade da fadiga crônica, a qualidade de vida e a capacidade funcional de indivíduos cronicamente infectados pelo vírus da hepatite C.

Método

Estudo realizado no formato transversal. Foi feita avaliação de: qualidade de vida (FS-36); fadiga crônica (Escala de Gravidade da Fadiga – FSS); depressão (Inventário de Depressão de Beck - IDB); capacidade funcional por meio dos testes Timed-up and Go; Teste de Sentar e Levantar; Teste de Caminhada de Seis Minutos. Foram feitas análises descritivas. Foi realizada análise de correlação por meio do coeficiente de Pearson, com significância estatística estabelecida em 5%.

Resultados

Foram avaliados 25 pacientes. Quanto à qualidade de vida (FS36) verificou-se que a dimensão “Aspectos Emocionais” foi a mais prejudicada (45,33 ± 40,69), sendo a “Capacidade Funcional”, a menos prejudicada (72 ± 27,23). Doze indivíduos (48%) apresentaram escore FSS compatível com a presença de fadiga crônica, com média de pontuação 27,48 ± 15,94. A média do escore IDB foi 16,96 ± 11,17, dezesseis pacientes (64%) tiveram ao menos grau leve de depressão (>14 pontos) ou superior. Quanto aos testes funcionais: a média do Timed-up and Go foi de 11,52 ± 3,21, sendo que 11 pacientes (52%) fizeram o teste em menos de 10 segundos (sem deficiência de mobilidade). No Teste de Sentar e Levantar a média ficou em 6,76 ± 2,58, e para a Caminhada de Seis Minutos a média foi de 420,3 metros ± 75,83 (esperado: 577,6 ± 25,88). Houve forte correlação entre a presença de fadiga e pior desempenho no componente emocional do FS36 (r = -0,74387507 e p <0,001). A presença de depressão correlacionou-se a pior desempenho nos Aspectos Sociais do FS36 (r=-0,733830032 e p<0,001). O Timed-up and Go correlacionou-se fortemente ao componente Capacidade Funcional da análise do FS36, e com a prova de Sentar e Levantar.

Conclusão

Na amostra estudada houve alta prevalência de fadiga crônica e de sintomas depressivos, com deterioração da qualidade de vida, particularmente nos aspectos sociais e emocionais. A capacidade funcional manteve-se preservada. Há que se destacar as limitações do trabalho: trata-se de amostra pequena, para a qual não foi realizada análise de fatores econômicos. Pretende-se realizar nova avaliação dos pacientes após o tratamento com antivirais orais.

Palavras-Chave

Área

Gastroenterologia - Fígado

Autores

JOÃO LUCAS DOURADO DO VAL, PAULO AUGUSTO DA SILVA, GABRIELA RIOS CATELANI, BÁRBARA REZENDE MARTINS, CÍNTIA MARTINS RUGGIERO, SIGRID DE SOUSA DOS SANTOS, HENRIQUE POTT JÚNIOR, SILVANA GOMES FLORENCIO CHACHÁ