XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

TUBERCULOSE DISSEMINADA APÓS USO DE ADALIMUMABE NA DOENÇA DE CROHN: RELATO DE CASO E REVISÃO DE LITERATURA

Apresentação do Caso

Paciente V.S, masculino, 20 anos, portador de doença de crohn e artrite idiopática juvenil, em uso de azatioprina e adalimumabe, início há 30 dias com febre intermitente e perda ponderal de 6kg. Ao exame físico , emagrecido, febril, taquicárdico e sem alteração do murmúrio vesicular. Tomografia de tórax mostrou massa pulmonar com cerca de 4,8x3,2 cm na base esquerda, além de múltiplos pequenos nódulos difusos em ambos os pulmões, sugestivos de processo infeccioso de etiologia fúngica ou granulomatosa. Tomografia de abdome com esplenomegalia e múltiplos nódulos esparsos pelo parênquima esplênico. Exames laboratoriais com anemia (Hb: 11,4), elevação de PCR e VHS. Sorologias virais negativas. Pesquisas de BAAR em escarros negativas. Com a hipótese de tuberculose miliar, foi iniciado esquema RIPE empírico, evoluindo com melhora da febre. Foi submetido a biópsia pleural que permitiu diagnóstico histopatológico de tuberculose. Evoluiu com elevação de enzimas canaliculares (GGT: 1334 FA:652), atribuída a um quadro de tuberculose hepática, pois foi afastada a hipótese de colangite esclerosante primária através de colangiorressonância. Sendo assim, o paciente recebeu o diagnóstico de tuberculose disseminada, segue em uso de esquema RIPE evoluindo com melhora clínica e laboratorial.

Discussão

O adalimubabe é um inibidor do fator de necrose tumoral (anti-TNF)-alfa e representa uma opção no tratamento da doença de Crohn, no entanto, múltiplas complicações e efeitos adversos podem ocorrer, como infecções por micobactérias, incluindo aquelas causadas por Mycobacterium tuberculosis. A Tuberculose (TB) que ocorre em associação com inibidores do TNF-alfa tem uma probabilidade maior de envolver locais extrapulmonares e de ser disseminada em comparação com casos de TB na ausência de imunossupressão. É crucial rastrear todos os pacientes para tuberculose latente antes de iniciar um inibidor de TNF-alfa. Quando estabelecido o diagnóstico, o tratamento de TB deve ser iniciado e além da descontinuação do anti-TNF, pelo menos temporariamente. O momento ideal de reinicialização de um inibidor de TNF-alfa em pacientes com TB ativa ainda precisa ser melhor determinado.

Comentários finais

Os anti-TNF aumentam o risco de TB e apresentam maior probabilidade de envolvimento extrapulmonar e de TB disseminada. Pacientes candidatos ao uso de terapia com inibidor de TNF-alfa devem ser rastreados para TB latente e acompanhamento rigoroso para realizar o diagnóstico e tratamento precoce de infecções oportunistas.

Palavras-Chave

Doença de crohn, terapia biológica, tuberculose

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Caiane Santos Rios, Verônica Grobério Nicoli, Maria Zuleide Feizola Leão Almeida, Anelisa Sena Machado, Lucia Safatli Barbosa, Dayana Peterle Christo, Nayanny Pereira de Sá Lima, Jhankarla Salazar Hinosa, Luiz Filipe do Carmo Zanotti, Lorena Rocha Dias Machado, Pedro Henrique Oliveira Brito de Alencar, Roberto Gomes da Silva Junior, Maria Luiza Queiroz Miranda, Andrea Vieira, Perla Oliveira Schulz Mamone