XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

HIPERTENSÃO PORTAL NÃO CIRRÓTICA COMO COMPLICAÇÃO DE CIRURGIA BARIÁTRICA

Apresentação do Caso

Paciente de 36 anos, feminina, admitida no Pronto Socorro Adulto do Hospital do Servidor Público Municipal de São Paulo (HSPM) com quadro de aumento do volume abdominal associado à dispneia, nauseas, um episódio de vômito , além de um pico febril mensurado. Ela apresentava como antecedente patológico importante cirurgia bariátrica por bypass gástrico em 2018 em outro serviço. Referiu que 1 ano após a cirurgia, apresentou o primeiro episódio de hemorragia digestiva alta, tendo apresentado ainda mais dois episódios , sendo o último menos de um mês antes da admissão. Na investigação, visto em ultrassonografia com doppler fígado com características normais, trombose venosa crônica da veia porta com transformação cavernomatosa, além de volumosa ascite. Paciente foi investigada para trombofilias primárias, com resultados todos negativos. Realizado paracentese diagnóstica e terapêutica que evidenciou peritonite bacteriana com crescimento de S. aureus secundário à uma fístula cutâneo - peritoneal que se insinuava por hérnia umbilical. Realizada antibioticoterapia inicialmente com piperacilina e tazobactam, sendo escalonado após piora clínica e resultado de cultura do líquido ascítico para meropenem e vancomicina. Optado por não anticoagular a paciente, visto que tratava-se de trombose crônica com sinais de recanalização.

Discussão

A trombose de veia porta e mesentérica (TPM) é complicação rara após cirurgia bariátrica. Shoar et al., em metanálise, avaliaram 41 estudos envolvendo 110 casos de TPM. Treze estudos relataram o número de casos dessa complicação em 16.137 cirurgias bariátricas, sendo a incidência de 0,4% (68 pacientes). No entanto, com o aumento do número de cirurgias bariátricas sendo realizado, esse tipo de complicação se tornou mais frequente e provavelmente há muitos casos não diagnosticados. O aumento no estado inflamatório e a hipercoagulabilidade da veia porta após grampeamento múltiplo do músculo e da mucosa gástrica, juntamente com ressecção de ≥80% do estômago, pode alterar a estase circulatória do sistema porta, predispondo à TPM.

Comentários finais

A TPM pós cirurgia bariátrica é rara e muitos casos provavelmente não são diagnosticados. O grau de oclusão do sistema porta pode determinar o início e a gravidade dos sintomas. Estudos prospectivos com busca de fatores de riscos conhecidos e a implementação de medidas cirúrgicas e clínicas para prevenir a TPM devem ser incentivados.

Palavras-Chave

Trombose de veia porta, cirurgia bariátrica, hipertensão portal

Área

Gastroenterologia - Fígado

Autores

FELIPE L R BARRETO, CLEYTON P ANDRADE, LUIZ FERNANDO PITANGUI , AYMEE L N TORRES, ANA THEREZA MARZOLA