XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Síndrome de Guillain Barré durante o uso de antagonista de fator de necrose tumoral alfa em paciente com Doença de Crohn – Relato de Caso

Apresentação do Caso

Mulher com Doença de Crohn, A2L3B3p, em uso de infliximabe e azatioprina há mais de 2 anos. Referiu, em consulta, diagnóstico externo de zika vírus e de Síndrome de Guillain-Barré (SGB) tratada com imunoglobulina e a suspensão do tratamento para doença de base. Não apresentou sequelas neurológicas e retomou o uso de azatioprina. Manteve-se sem queixas gastrointestinais, porém com dores articulares e úlceras orais recorrentes. Novo estadiamento da doença evidenciou ileíte terminal, sendo prescrito vedolizumabe e a azatioprina, suspensa, após período indução. Atualmente com doença em remissão profunda, não apresentou quadro de doença desmielinizante após início da nova terapia.

Discussão

SGB após uso de antagonista de fator de necrose tumoral alfa (anti-TNFa) é rara. Apesar da prevalência de doença desmielinizante em usuários de anti-TNFa ser semelhante à população em geral, existem casos em que a SGB tem associação temporal com o uso do imunobiológico e interrompê-lo pode contribuir para a melhora dos sintomas, aumentando a chance de causalidade. Nesse relato, o quadro desmielizante ocorreu após 2 anos do início do imunobiológico e foi associado a um caso de zika vírus, o que pode ter sido o gatilho para o processo autoimune por meio de mimetismo molecular em paciente susceptível. Como tratamento para a SGB, metilprednisolona em monoterapia parece ser insuficiente para os casos associados a um anti-TNFa, sendo a ciclofosfamida ou a imunoglobulina relacionadas a uma melhora na neuropatia em períodos de acompanhamento de até 9 meses. Os resultados relatados variaram da melhora dos déficits neurológicos em 3 semanas até a ausência de resposta. Embora não seja consenso, é sugerido que para as doenças desmielinizantes ou com seu desenvolvimento durante o uso de um anti-TNFa, que ele seja descontinuado. Isso pode agravar os sintomas da doença de base, e, nesses casos, o vedolizumabe é uma alternativa, por não haver associação do seu uso com acometimento neurológico, provavelmente por sua seletividade ao trato gastrointestinal.

Comentários finais

Embora uma relação causal entre a SGB e a terapia com anti-TNFa não seja comprovada, devemos monitorar os pacientes para quadros neurológicos sugestivos. Na suspeita clínica, é recomendada uma investigação detalhada de outros fatores predisponentes e a retirada da droga. Ainda não há consenso sobre qual imunobiológico deve ser utilizado, caso seja necessário.

Palavras-Chave

Doença de Crohn, Sd. de Guillain-Barré, Complicações pós Anti TNF-alfa

Área

Gastroenterologia - Intestino

Autores

Marília Adriano Mekdessi, Mariana Magalhães Alves Rocca, Anna Gabryela Medeiros Afonso de Carvalho, Gabriela de Souza Bueno, Janedson Baima Bezerra Filho, Felipe Nelson Mendonça, Renan Nunes da Cruz , Isabela de Souza Mateus, Sandro da Costa Ferreira