XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Sobreposição da colangite esclerosante secundária do paciente crítico e pós-infecção por SARS-COV2: um relato de caso

Apresentação do Caso

Feminina, 39 anos, sem comorbidades prévias, com sintomas gripais sendo confirmada infecção pelo SARS-COV-2. Evolui com insuficiência respiratória e necessidade de ventilação mecânica, mantendo internação prolongada em leito de terapia intensiva compensada à custa de doses altas de droga vasoativa. Evolui com icterícia colestática, iniciada investigação com colangioressonancia e evidenciado sinais de hepatopatia crônica, trombose crônicas dos ramos portais hepáticos direitos, não recanalizados, irregularidade das vias biliares intra-hepática, além de imagens sugestivas de abscessos infectados no parênquima hepático. Interrogado quadro de colangite esclerosante, sendo realizada pesquisa de imunoglobulina, anticorpo anti-citoplasma de neutrófilos (p-Anca), anti-mitocôndria e Fator antinuclear todos com resultados negativos. Iniciado Polimixina para cobertura infecciosa dos abscessos hepáticos, evoluindo com resposta infecciosa satisfatória, além de ácido ursodesoxicólico, com boa resposta no quadro colestático. Paciente segue em acompanhamento de enzimas hepáticas, sendo levantada hipótese de colangite esclerosante secundária ao COVID.

Discussão

A colangite esclerosante, é uma patologia que acomete as vias biliares, pode ser dividida em primária, sendo essa um distúrbio progressivo crônico de etiologia desconhecida, caracterizada por inflamação, fibrose e estreitamento de ductos médios e grandes na árvore biliar intra-hepática e /ou extra-hepática. Já a secundária o quadro se dá por meio de diagnóstico de exclusão, podendo ser de etiologia bacteriana, infecciosa, eosinofílica, viral e as secundárias a pacientes críticos com internação prolongada e com necessidade de antibiótico de amplo espectro, drogas vasoativas e sedativos. As duas últimas vêm sendo amplamente estudadas devido ao aumento na incidência após os quadros de infecção por SARS-COVID 19.

Comentários finais

A colangite esclerosante secundária é um tema que vem sendo amplamente estudado devido à incidência elevada da infecção pela COVID-19, e esse vírus tem a capacidade de provocar alterações do perfil bioquímico hepático gerando um dano epitelial direto, podendo provocar uma colangite se sobrepondo a colangite esclerosante secundária do paciente crítico.

Palavras-Chave

colangite, COVID, colestase

Área

Gastroenterologia - Fígado

Autores

DANIELA SILVA GALO, LIVIA JAYME PAULUCCI, ISABELLE FALEIROS FERNANDES, LARA VEIGA FREIRE, VANESSA MADRID VIVO, NATALIA ENGLER RAVASIO , RONIKI CLEAN SA FLORENCIO