XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Relação das características epidemiológicas de pacientes com complicações associadas a litíase biliar e o tempo de internação em um hospital terciário.

Introdução

Litíase biliar pode ser definida como a presença de concreções, sejam elas cálculo (> 3 mm) ou barro biliar (< 3 mm) na vesícula (colelitíase), nos ductos biliares ou em ambos. Ademais, as principais complicações associadas a litíase biliar são colecistite aguda, coledocolitíase, pancreatite aguda e colangite.

Objetivo

Avaliar clínica e epidemiologicamente os pacientes internados em enfermaria de gastroenterologia de um hospital terciário com complicações relacionadas a litíase biliar.

Método

Foram avaliados 158 pacientes internados no período de 01 de janeiro de 2013 a 24 de fevereiro de 2021, por meio da análise de relatórios de alta e prontuários.

Resultados

Observou-se que 121 (76,6%) eram do sexo feminino e 37 (23,4%) do sexo masculino. A média de idade no momento da internação foi de 51,6 ± 21 anos e mediana de 52 anos. Os pacientes do sexo masculino internados eram significativamente mais velhos, com média de idade de 60 anos, enquanto a média de idade entre os pacientes de sexo feminino foi de 49 anos (p = 0,005). A maioria dos pacientes avaliados apresentava pelo menos uma comorbidade, sendo que 24,7% apresentava uma e 32,9% duas ou mais comorbidades. Sendo as mais prevalentes: hipertensão arterial sistêmica (36,7%), diabetes mellitus (15,1%) e obesidade (13,9%). Bem como, histórico atual ou prévio de etilismo significativo foi identificado em 24,6%, já histórico de tabagismo atual ou prévio significativo foi identificado em 29,7%, dos indivíduos estudados. Foi observado que o tempo médio de internação foi de 24,4 ± 21,3 dias e mediana de 19,5 dias. Os pacientes do sexo masculino apresentaram um tempo de internação médio (30,5 ± 31,1 dias) maior que os pacientes do sexo feminino (22,6 ± 16,9 dias), p = 0,046. O tempo de internação não teve relação direta com a idade dos pacientes da amostra total estudada (p = 0,414). Não houve diferença significativa quando se comparou o tempo médio de internação dos pacientes com e sem comorbidades (p = 0,761) ou com e sem histórico de colecistectomia prévia (p = 0,196).

Conclusão

No presente estudo, observou-se que a maioria dos pacientes eram do sexo feminino, com idade média de 51,6 anos. Os homens eram significativamente mais velhos que as mulheres. Uma minoria apresentava histórico de tabagismo e etilismo significativo. A maioria dos avaliados apresentava pelo menos uma comorbidade, sendo as três mais frequentes: hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus e obesidade.

Palavras-Chave

Litíase biliar. Colecistectomia. Coledocolitíase.

Área

Gastroenterologia - Pâncreas e Vias Biliares

Autores

Ridson Guilherme Parente de Aguiar, Francisco Emanoel Albuquerque de Souza Júnior, José Leonardo Gomes Rocha Júnior, Francisco Sérgio Rangel de Paula Pessoa, Leidiane Pinho da Silva, Gardênia Costa do Carmo