XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

EPIDEMIOLOGIA DE PACIENTES PORTADORES DE CIRROSE HEPÁTICA ATENDIDOS EM UM AMBULATÓRIO UNIVERSITÁRIO DE HEPATOLOGIA NO PERÍODO DE 2016 A 2020.

Introdução

A cirrose hepática (CH) é o estágio final de todas as doenças que acometem cronicamente o fígado, resultando em perda de sua estrutura arquitetural e da sua funcionalidade. Dentre as suas principais causas, destacam-se as infecções virais crônicas, o consumo de álcool, e mais recentemente, a síndrome metabólica, composta pela associação de obesidade, diabetes mellitus, hipertensão arterial sistêmica e dislipidemia.

Objetivo

Analisar o perfil epidemiológico de cirróticos em acompanhamento em um Ambulatório de Hepatologia no período de 2016 a 2020.

Método

O presente estudo seguiu uma lógica observacional e retrospectiva, de abordagem descritiva, com a análise do perfil epidemiológico de 50 pacientes portadores de CH no referido ambulatório. As variáveis contínuas foram dispostas em frequências absolutas, e as variáveis categóricas foram dadas como percentuais. Para identificar a relação entre as variáveis independentes, por estatística inferencial, utilizou-se o Teste G Binomial, considerando o nível de significância a 5% com o p value < 0,05.

Resultados

Dentre os pacientes cirróticos, 78% eram do sexo masculino, com predominância entre as 5ª e 6ª décadas de vida. No que tange o motivo da referência ao ambulatório de hepatologia, 76% procuraram atendimento com queixas de alterações sintomatológicas, como dor em hipocôndrio direito (41%), ascite (18%) e hemorragia digestiva alta (10%). A etiologia mais prevalente foi a alcoólica (69%) seguida pela criptogênica (12%). Quanto a classificação de Child-Pugh, 43% eram da classe A, enquanto, 14% eram C. 63% dos pacientes afirmaram hábito tabágico e apenas 4% evoluíram para CHC. Houve associação entre as proporções das variáveis tabagismo e CHC (p=0,0408), sexo masculino e maior gravidade da doença (p=0,0061) e a presença de comorbidades associadas à CH com a incidência de CHC (p<0,001).

Conclusão

Esta pesquisa visa contribuir para o fomento das informações epidemiológicas acerca da CH, somando-se a outras produções científicas já existentes, o que pode corroborar com diagnóstico precoce, medidas de cuidado e prevenção mais efetivas em relação a tal doença.

Palavras-Chave

Cirrose Hepática; Epidemiologia; Morbidade; Prognóstico.

Área

Gastroenterologia - Fígado

Autores

Vitória Felice Camargos, Marlon Reis Alcantara, Vívian Laís de Lima , Hugo de Freitas Queiroz, José Rubens de Andrade