XX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DE INIBIDORES DE BOMBA DE PRÓTONS EM PACIENTES INTERNADOS EM ENFERMARIAS DE CLÍNICA MÉDICA DO HOSPITAL MUNICIPAL UNIVERSITÁRIO DE TAUBATÉ

Introdução

Os inibidores de bomba de prótons (IBP) são pró-fármacos que exigem ativação em meio ácido ligando-se de modo covalente a grupos sulfidrila na bomba H+/K+/ATPase, inativando-a irreversivelmente, esses medicamentos suprimem a secreção de ácido gástrico por meio de inibição de enzimas específicas na superfície secretora da célula parietal gástrica.
A crença de que o uso dessa classe de medicamentos apresenta baixo risco de toxicidade resultou em um aumento significativo na sua prescrição, esse fator, juntamente com a baixa divulgação de orientações sobre seu uso correto, têm contribuído para o aumento das indicações desnecessárias de IBP nas internações, principalmente como profilático.

Objetivo

Analisar a utilização dos IBPs em pacientes internados em enfermaria geral, visando suas indicações, tempo de uso e impacto financeiro gerado do uso inadequado.

Método

Foram analisados consecutivamente prontuários de pacientes com idade superior a 18 anos, que estiveram internados nas enfermarias do serviço de clínica médica do HMUT, nos períodos de maio a julho de 2020. As indicações adequadas do uso de IBP foram baseadas nos Guidelines internacionais do American Journal of Gastroenterology e do American Society of Health-System Pharmacy. Os registros das farmácias foram levantados para a análise dos custos associados ao uso indevido desses medicamentos.

Resultados

: Dos 373 prontuários analisados, 297 pacientes (79,6%) usaram IBP em algum momento e 77,1% destes, utilizaram durante toda internação. Em torno de 2/3 da amostra que usou IBP, o fez por período entre 1 a 7 dias de terapia. Dos 35 pacientes que tiveram o uso de IBP por um tempo maior ou igual a 15 dias, identificamos maior prevalência de pneumonia e diarreia, porém não houve relevância estatística. A análise das indicações de uso do IBP se mostrou adequada em 49,8% dos casos, destes, 128 pacientes (86%) utilizaram para a profilaxia de úlcera, e 20 (14%) para tratamento de comorbidades. O custo associado ao uso inapropriado foi de R$10.833,46 nos 3 meses do estudo.

Conclusão

Assim como encontrado em outros trabalhos, houve uma elevada prevalência de indicações inadequadas ao uso dos IBPs em ambiente hospitalar, o que impacta principalmente em um gasto desnecessário e nas possíveis complicações relacionadas ao seu uso prolongado. Faz-se necessário, portanto, protocolos de utilização destes medicamentos, para melhor utilização em ambiente hospitalar.

Palavras-Chave

Área

Gastroenterologia - Estômago/Duodeno

Autores

Vivian Mota Guimarães , Julia Arruda Galvão, Bruna Veiga, Lyu Sotome, Rafael Alvim, Luisa Gripp